Arquivo da Categoria ‘Publicidade’

Record deve entrar com ação no Conar contra a Globo

Quarta-feira, 15 de Outubro de 2008

SÃO PAULO (Agência Estado) - A Record deve entrar hoje com uma ação no Conselho de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar) contra a Globo. Nas peças publicitárias alvo da confusão, a Globo cita suas atrações de maior ibope ao lado das frases: “100% de liderança” e “pode escolher o horário, o público ou a região, a Globo é sempre líder”. São justamente essas frases que a Record contesta em sua representação no Conar.

A emissora alega que a propaganda da concorrente é enganosa e induz o público a erro, uma vez que a Globo não é líder absoluta em todos os horários. A ação também traz reclamação com relação à mensagem subliminar contida na campanha. A Record garante que a peça traz sombras de artistas de outras emissoras, entra elas, gente do seu casting, como Eliana.

Se julgar procedente a ação, o Conar pode exigir que a Globo suspenda a circulação da campanha. Vale lembrar que a briga tem cara de troco, uma vez que a Globo acionou o Conar em abril por conta de uma campanha em que a Record falava sobre liderança.

* Fonte:
http://www.estadao.com.br/arteelazer/not_art260264,0.htm

Rede de lojas C&A tira do ar campanha considerada erótica

Domingo, 22 de Junho de 2008

Reportagem deste sábado na Folha, mostra que a campanha do Dia dos Namorados da rede de lojas C&A teve de ser retirada de circulação em todo Brasil nesta sexta-feira por ter sido considerada imprópria.

De acordo com reportagem de Cíntia Acayaba, o Conar (Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária) e órgãos de defesa do consumidor consideraram o material televisivo e os encartes distribuídos durante a campanha — chamada “Papai-Mamãe Não!!!” — abusivos e eróticos.

A C&A informou à reportagem que retirou a propaganda em virtude da “repercussão”. A agência de publicidade responsável pela campanha, a DM9DDB negou que o material fosse ofensivo.

O Conar abriu processo com base em denúncias de consumidores. Dois pais flagraram os filhos com encartes que traziam figuras que insinuavam atos sexuais, segundo a reportagem.

O Procon elaborou um auto de infração contra as lojas, que terão dez dias para se defender. Ao final do processo, a C&A pode receber multa de R$ 500 mil a R$ 5 milhões, de acordo com a reportagem.

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u409879.shtm

Propaganda do remédio Nebacetin apóia homosexualismo!

Terça-feira, 15 de Abril de 2008

Mais uma empresa está apoiando o homosexualismo em suas propagandas. Agora foi a vez da empresa do remédio Nebacetin. Na sua propaganda que está sendo veiculada aparecem o que eles chamam de “vários tipos de família”, e entre estas um casal gay com um filho.

A matéria está no Tabernaculonet, veja no endereço abaixo:

http://www.tabernaculonet.com.br/luz.php?facho=t00318

Deus abençoe a todos!

França: campanha contra aids com casal gay é censurada

Quarta-feira, 2 de Janeiro de 2008

A imagem de dois homens nus em uma cama tem causado polêmica na França. A Associação de Profissionais para uma Publicidade Responsável censurou uma campanha institucional contra a propagação do vírus da aids entre a população homossexual, porque o cartaz que mostra o casal foi considerado explícito demais. As informações são do El País.

O veto da associação fez com que outras organizações dedicadas à luta contra a aids criticassem a aplicação de critérios diferentes de censura à publicidade, dependendo se nos anúncios aparecem gays ou heterossexuais.

“Esse tipo de medida não existiria se os protagonistas da propaganda fossem heterossexuais. É uma ofensa à comunidade gay”, declarou um porta-voz da associação Act Up Paris.

O grupo exige que a campanha continue sendo divulgada tanto entre os gays como nos meios de comunicação e que o Ministério da Saúde francês condene a censura da Associação de Profissionais para uma Publicidade Responsável.

FONTE:
http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/(…).html

Bebê em campanha de defesa homossexual gera polêmica

Quarta-feira, 24 de Outubro de 2007

Uma campanha institucional contra a discriminação sexual que mostra a imagem de um recém-nascido com uma pulseira de identificação onde, em lugar do nome, se lê “homossexual” reabriu na Itália o debate sobre a ética na publicidade.

A região da Toscana é a responsável pela campanha, patrocinada pelo Ministério de Igualdade de Oportunidades, e que recebeu o apoio de associações de homossexuais e parte da esquerda, assim como críticas dos conservadores, que a consideram “horrorosa”.

(Clique aqui e veja a imagem)

A fotografia, cedida gratuitamente pela fundação canadense Emergence, aparecerá em outdoors e postais da região sob o lema “A orientação sexual não é uma escolha”.

Esta também será a imagem de um evento contra a discriminação sexual que será realizado em Florença, capital da região, nos dias 26 e 27, dentro um festival de criatividade.

A ministra de Igualdade de Oportunidades, Barbara Pollastrini comparecerá ao festival, no qual também estará o fotógrafo italiano Oliviero Toscani, que, dias atrás, levantou polêmica com uma campanha publicitária contra a anorexia que mostrava uma modelo nua e que sofre da doença.

O responsável regional que escolheu a imagem, Agostino Fragai, explicou hoje ao jornal Corriere della Sera que a campanha não pretende entrar na origem do homossexualismo, mas ressaltar que ele “não é um vício e, por isso, não deve ser condenado, marginalizado ou pior ainda, perseguido”.

O presidente da associação homossexual italiana Arcigay, Aurelio Mancuso, disse que a campanha está “totalmente na vanguarda” na defesa dos direitos dos gays e afirmou que a Itália deveria “se adequar” à visão da Toscana sobre o assunto.

A imagem do bebê também tem opositores, como o líder da conservadora União de Democratas Cristãos na Câmara Baixa, Luca Volonté, que classificou a campanha de “horrorosa”.

Para Volonté, “utilizar recém-nascidos para dar a idéia de que os impulsos homossexuais são uma característica inata das crianças é uma desculpa vergonhosa do ponto de vista científico, político e social”.

O partido de Silvio Berlusconi, o Forza Italia, disse à imprensa local que “para afirmar um modelo alternativo de sociedade, na qual domina a indeterminação sexual, a região Toscana não vacila em utilizar um recém-nascido de forma instrumental e ideológica”.

FONTE:
http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI2017444-EI8142,00.html
Autoria: Agência EFE.

Propagandas da GM incentivam o lesbianismo!

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2007

Se você reparar, as novas propagandas da GM incentivam claramente o lesbianismo. Tratam-se das propagandas do novo Vectra GT e do novo Omega.

Propaganda da GM promove lesbianismo
*Imagem de vídeo mostrado do site da GM

A propaganda do novo Omega é muito bem feita e criativa. Mostra algumas pessoas se movimentando e ao filmar de cima mostra que elas juntas formam um carro. Porém no início da propaganda, quando filma de baixo as pessoas se juntando, mostra bem duas mulheres dando as mãos. O detalhe é que as outras pessoas não estão dando as mãos, ou isso não é tão destacado quanto no caso das duas mulheres. Quando assisti a propaganda pela primeira vez, percebi nitidamente isso.

Lesbianismo na propaganda do novo Vectra GT
*Imagem de vídeo mostrado do site da GM

A propaganda do novo Vectra GT mostra o carro passando por vários lugares, e em determinado momento (mais ou menos no meio) mostra duas mulheres bem juntas em um lugar que parece um elevador, e elas fazem movimentos sensuais com os corpos. Uma está encostada com as costas na parede do fundo do elevador, e a outra está bem na frente dela com os braços na cintura dela. Não tem como não perceber a clara propaganda de lesbianismo. Seria uma cena totalmente comum se fosse um casal, mas para duas mulheres não tem como dizer que não é propaganda de lesbianismo. A propaganda mostra claramente duas mulheres namorando!

Alguns vídeos podem ser vistos no site abaixo. O do Vectra GT eu vi que tem lá, mas o do Omega não. A não ser que coloquem depois:

http://www.chevrolet.com.br/mais/videos.shtm

Não temos nem o que comentar… Simplesmente lamentável!

Colaboração: E. S. F. (nome preservado), via email.