Arquivo da Categoria ‘Agulhas no corpo’

[CASO 6] Rio: preso homem que confessou ter enfiado agulhas em criança

Quarta-feira, 1 de Setembro de 2010

Jornal O Dia / Portal Terra - 01/09/2010

O auxiliar de serviços gerais Eduardo de Mello Cerqueira, 28 anos, foi preso na manhã desta segunda-feira por policiais da 61ª DP (Xerém). Segundo a polícia, ele confessou ter introduzido três agulhas no corpo de Daniela da Costa Castro, de 1 ano.

O crime ocorreu em Xerém, Duque de Caxias, há aproximadamente 4 meses, mas as agulhas foram descobertas no corpo da menina no dia 1º deste mês, quando ela teve dores no abdômen e foi internada no Hospital de Saracuruna, em Caxias. Eduardo foi indiciado por tentativa de homicídio, e a prisão temporária decretada por 30 dias.

“Ele é amigo da mãe da menina e disse que a beleza da criança o incomodava, assim como o carinho e a atenção que a mãe dava a ela”, disse o delegado-titular da 61ª DP, Alexandre Ziehe. “A explicação é insana assim como o ato dele. Ele passou por uma avaliação psiquiátrica mas passará por outros exames”.

Acusado de fincar agulhas em bebê foi agredido na infância

AEduardo de Melo Cerqueira, 28 anos, preso na Baixada Fluminense na segunda-feira após confessar ter introduzido três agulhas na barriga de uma menina de um ano e meio, sofreu agressões durante a infância, segundo a Polícia Civil. Espancado pelo pai nos primeiros anos de vida, Cerqueira foi morar com a avó aos oito anos, no Jardim Olimpo, bairro de Duque de Caxias (RJ). O perfil psicológico do agressor chamou a atenção dos policiais da 61ª DP (Xerém).

Até a morte da avó, em 2002, ele foi o único dos quatro filhos do casal a morar longe dos pais. Nesse período, teve contato com algumas drogas, participou de rituais de candomblé e ingressou no evangelismo, informaram os investigadores.

A vítima é filha da vizinha de Cerqueira. Na terça-feira, Cerqueira admitiu que a inveja que sentia do bebê o levou a cometer a crueldade. Em depoimento, o criminoso disse que morria de ciúmes dos cabelos louros, dos olhos azuis e do carinho dos pais em relação à criança. Indiciado por tentativa de homicídio qualificado pela tortura, ele poderá pegar de seis a 20 anos de prisão, caso seja condenado.

Segundo os policiais, a inveja serviu de impulso para machucar a criança, que sofreu infecção por causa das agulhas - uma delas lembrava um prego - enfiadas no corpo. A ação criminosa aconteceu em maio. No mesmo dia, Cerqueira, a mulher dele, que está grávida, o bebê que foi vítima e a mãe dessa criança, Rose Cristina da Costa, tinham ido a um culto religioso no bairro.

“Como tinha intimidade, ele precisou apenas se afastar e, apesar do choro da criança, a mãe sequer desconfiou”, disse o delegado Roberto Cardoso, chefe do Departamento Geral de Polícia da Baixada.

“Estou aliviada com a descoberta de quem fez a maldade com a minha filhinha, mas entrego nas mãos de Deus o destino desse rapaz. Agora, entender o que o levou a fazer isso é muito difícil. É inacreditável e estranho”, disse Rose Cristina, mãe da menina, que foi operada no Hospital de Saracuruna, em Duque de Caxias, no dia 4 de agosto, para retirar as agulhas.

Envergonhada com a atitude do marido, Y., 19 anos, saiu de casa e foi para Jardim Gramacho, onde mora um parente. O delegado Roberto Cardoso pediu exame neuropsiquiátrico de Eduardo.

Choro ajudou a polícia

“Os resultados apontaram uma depressão leve. Depois que a mãe registrou queixa, dia 1º, passamos a ouvir vizinhos e parentes. Notamos que o bebê, dócil e simpático que ia no colo de todo mundo, sempre que via Eduardo entrava em pânico e não parava de chorar. Isso nos chamou a atenção”, explicou. Segundo o delegado, o fato de a criança ter medo de Eduardo ajudou nas investigações.

O pedido de prisão temporária foi feito na sexta-feira, após a mãe do bebê encontrar uma agulha nas roupas sujas de Eduardo, que seriam limpas na máquina de lavar da família da criança. Na delegacia, Eduardo garantiu estar arrependido da violência que cometeu contra a criança. Por ter confessado o crime, o delegado pediu ontem a prisão preventiva do suspeito, que foi transferido para a Polinter.

Crime deixou vizinhança impressionada

O sangue frio de Eduardo Cerqueira chocou e decepcionou vizinhos. Há nove meses, quando foi morar na rua Florença (antiga Rua 4), no bairro Vila Canaã, em Xerém, Duque de Caxias, ele recebeu apoio da maioria das pessoas que seguem a religião evangélica. Até o emprego de auxiliar de manutenção foi indicação de um vizinho.

Para retribuir, o criminoso passou a frequentar os cultos da 1ª Igreja Batista da Vila Canaã, na mesma rua onde morava e pagava aluguel de R$ 300. “Sempre foi tranquilo e tratava bem as pessoas”, disse o motorista Nei Leal de Andrade, 40 anos. “Ele não passa de um lobo em pele de cordeiro”, afirmou a dona de casa Maria da Glória Leal, 45 anos.

* Fontes:
http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI4651450-EI5030,00.html

http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI4653851-EI5030,00.html

* Em ligação com:
Casos relacionados com “Agulhas no corpo”

[CASO 5] Cartomante é suspeita de fincar agulhas em bebê no interior de São Paulo

Quinta-feira, 26 de Agosto de 2010

Portal Terra - 26/08/2010

O delegado Luiz Cláudio Massa, que investiga o caso do menino de 1 ano e 8 meses encontrado com vários ferimentos e agulhas inseridas nas nádegas no município de Lençóis Paulista - a 280 km de São Paulo - afirmou nesta quinta-feira que pretende ouvir, ainda nesta semana, a cartomante que prestava serviços à patroa da mãe da criança e à cunhada dela. As duas são acusadas de serem as autoras das agressões.

Segundo o delegado, na noite de sábado, a mãe do bebê teria sido convidada a beber cerveja com a patroa e sua cunhada, e teria deixado o filho sozinho em seu quarto. Por volta das 2h, a dona da casa teria mandado a empregada buscar mais bebida. Acompanhada da cunhada da patroa, a mãe do bebê foi fazer as compras e, quando voltou, teria encontrado a criança ferida. Exames médicos apontaram que o bebê tinha agulhas nas nádegas. A suspeita é de que os objetos façam parte de um ritual de magia negra.

De acordo com Massa, a patroa da mãe da criança, uma empresária de 43 anos, mostrou-se bastante confusa, em depoimento, quando o delegado afirmou saber que ela frequentava locais onde seriam praticados rituais de ocultismo. “Ela se mostrou bastante nervosa e acabou revelando que frequentava essa cartomante, mas negou participar de sessões de magia negra”, diz. O delegado afirmou que pretende ouvir a cartomante nesta sexta-feira.

O depoimento da cartomante poderá ajudar o delegado a dar um novo rumo às investigações. “Não descarto ao final dos trabalhos o pedido de prisão das três envolvidas”, disse o delegado. Por enquanto, o caso está registrado como maus tratos. A patroa foi indiciada por omissão de socorro.

Bebê não sofreu agressão sexual

Massa afirmou também que os exames feitos para verificar se o menino foi vítima de violência sexual teve resultado negativo. O exame havia sido solicitado pelo delegado, que desconfiava da possibilidade de a criança ter sido abusada sexualmente. “Graças as Deus, o exame deu negativo”, disse Massa. O delegado contou que pretende ouvir ainda está semana, a cartomante freqüentada pela patroa e cunhada da mãe da criança. A suspeita é que as agulhas encontradas alojadas nas nádegas do bebê façam parte de um ritual de magia negra.

Cirurgia

De acordo com Maria Angelina Romani Malagi, presidente do Conselho Tutelar de Lençóis Paulista, a criança passa bem e está sob a guarda do órgão. Sobre a cirurgia para retirada das agulhas, a conselheira disse que serão necessários exames complementares, já que uma das agulhas está alojada nas nádegas e a outra se encontra próximo de uma região “complicada”, perto do cóccix.

Os novos exames irão mostrar se a agulha foi inserida pela frente ou pelas nádegas no corpo da criança. O médico irá dizer se é possível retirar o objeto ou se o bebê terá que conviver com ele no corpo.

* Fonte:
http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI4644106-EI5030,00.html

* Em ligação com:
Casos relacionados com “Agulhas no corpo”

[CASO 4] Polícia investiga caso de jovem que teve agulhas inseridas no corpo em hospital de Brasília

Domingo, 2 de Maio de 2010

TV Globo / DFTV / Jornal O Globo - 30/04/2010

A Polícia Civil investiga o caso de uma jovem que teve inseridas agulhas pelo corpo em Brasília. A vítima, de 21 anos, sofre de problemas mentais e foi internada em janeiro em um hospital da capital federal com uma infecção grave.

Segundo um dos últimos exames a que foi submetida, além de agulhas, a jovem também tinha espalhados pelo corpo grampos e alfinetes.

A denúncia às autoridades foi feita pelo próprio hospital como suspeita de maus tratos. A polícia já ouviu a mãe e parentes da jovem.

A Polícia Civil de Brasília suspeita que a mãe da jovem de 21 anos internada no Hospital Geral de Taguatinga (HGT) com agulhas introduzidas no corpo seja a responsável por inserir os objetos. Segundo uma vizinha, que não quis ser identificada, o relacionamento da mãe com a jovem é complicado porque a mãe é alcoólatra.

- A mãe tem problemas porque ela bebe, ela tem problema de alcoolismo, mas ela cuida bem da Nildina - disse.

De acordo com a delegada Vera Lúcia da Silva, a mãe foi proibida de visitar Nildina no hospital porque estava sempre bêbada. A jovem foi internada no HGT com infecção generalizada no dia 27 de janeiro. Esta semana, exames de raios-X e tomografia detectaram a presença de agulhas, grampos de cabelo e alfinetes no corpo dela.

- Tudo leva a crer que a mãe está envolvida neste fato. Apesar de ela negar, apesar de ela não saber quem foi que colocou essas agulhas na filha dela, nós temos elementos para indicá-la como uma provável suspeita - afirmou a delegada Vera Lúcia da Silva, da 12ª DP.

Nildina é deficiente mental e mora em Taguatinga Norte. Uma tia da moça, Maria Izete Pereira, disse que essa não é a primeira vez que a jovem aparece com objetos metálicos no corpo.

- Isso já aconteceu acho que umas duas vezes com ela, essa seria a terceira. Só que, muitas das vezes, ela começa a sentir mal, ela dá febre, devido à infecção,né? - contou.

De acordo com o Hospital Geral de Taguatinga, os objetos não devem ser retirados do corpo da jovem.

- Ela apresenta objetos metálicos introduzidos no interior do seu corpo, que porém não precisam ser retirados, haja vista que eles não estão próximos a nenhum órgão nobre - afirmou o secretário de Saúde, Joaquim Barros nesta sexta-feira.

Na tarde desta sexta-feira, Nildina foi ao Instituto Médico Legal (IML) fazer exames. O parecer técnico dos médicos será enviado para a delegacia responsável pela investigação. A polícia deve ouvir ainda outros familiares e funcionários do hospital, além da vítima.

Em Ibotirama, na Bahia, um menino de apenas 2 anos foi internado em dezembro do ano passado com diversas agulhas espalhadas pelo corpo. Parte delas foi retirada após diversas cirurgias.

O padastro da criança, o pedreiro Roberto Carlos Magalhães, confessou ter colocado os objetos no corpo da criança. A mulher, que era amante dele, acusada de ajudá-lo a colocar dezenas de agulhas no corpo do menino foi libertada da prisão no mês passado. Magalhães continua preso.

* Fontes:
http://oglobo.globo.com/cidades/mat/2010/04/30/policia-investiga-caso-de-jovem-que-teve-agulhas-inseridas-no-corpo-em-hospital-de-brasilia-916470769.asp

http://oglobo.globo.com/cidades/mat/2010/05/01/mae-suspeita-de-introduzir-agulhas-no-corpo-de-jovem-internada-em-brasilia-916478528.asp

* Em ligação com:
Casos relacionados com “Agulhas no corpo”

[CASO 3] Mulher do RS tem 12 agulhas no corpo desde 2007

Quinta-feira, 24 de Dezembro de 2009

Jornal Zero Hora - 24/12/2009

As histórias de dois meninos que chocaram o país neste mês se repetiu em Santa Maria. Assim como os meninos da Bahia e do Maranhão, uma mulher de 42 anos, moradora da cidade da Região Central, tem pelo menos 12 agulhas de costura espalhadas pelo corpo.

Os artefatos teriam sido colocados pelo ex-companheiro, de 57 anos, que responde a um processo na Justiça catarinense pelas supostas agressões. Radiografias feitas no domingo comprovam que os objetos se concentram na coluna cervical, na altura do pescoço, e na região abdominal da mulher.

A descoberta de que tinha agulhas no corpo veio por acaso, no início de 2007, após dois anos de convivência com o suspeito. Na época, a mulher – que morava em Meleiro (SC) – foi submetida a exames para uma cirurgia na coluna. Ao fazer uma radiografia, os médicos constataram os corpos estranhos. Depois da operação, feita em Santa Maria, ela voltou à cidade catarinense.

– Ele disse que queria me ver aleijada, em uma cadeira de rodas, para ficar dependente dele. As agulhas fariam parte de um ritual de magia negra. Ele contou que me dopava .

A mulher disse que não sentia dores e não desconfiava da prática. Ela registrou ocorrências e se mudou para a casa de uma amiga em Araranguá (SC), em 2007. No ano seguinte, voltou para a residência da família, em Santa Maria.

Depois de conviver com o problema por dois anos sem transtornos, no domingo a vítima precisou procurar o Hospital Universitário de Santa Maria, onde ficou internada por um dia, com dores fortes no abdômen.

– Sinto dor 24 horas por dia. Não consigo respirar nem dormir e estou à base de morfina – afirma.

Segundo o diretor-clínico do hospital, Sérgio Nunes Pereira, os exames mostram que não há necessidade do procedimento. A operação seria eletiva (não urgente). Pereira diz que os objetos aparentemente não têm relação com a dor sentida pela mulher:

– As radiografias mostram que as agulhas estão logo abaixo da pele, entre o músculo – diz o médico.

Procurado pelo Diário Catarinense em casa, em Meleiro, o suspeito informou que irá se manifestar apenas depois de conversar com seu advogado.

* Fonte:
http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a2758494.xml&template=3898.dwt&edition=13790§ion=1003

* Em ligação com:
Casos relacionados com “Agulhas no corpo”

[CASO 3] Mulher descobre ao menos 12 agulhas espetadas no corpo no RS

Quinta-feira, 24 de Dezembro de 2009

Portal Terra - 23/12/2009

Uma mulher de Santa Maria (RS) descobriu, após um exame no final de semana, que possui pelo menos 12 agulhas dentro do corpo. A dona de casa de 42 anos disse que foi espetada pelo ex-marido em um ritual religioso. A informação é da RBSTV.

Os objetos foram identificados na nuca, próximos à coluna e no abdômen. O médico Juliano Rigon, que atendeu a mulher, disse que ela não deverá passar por cirurgia, pois não há risco iminente. Ele aumentou a dose de medicamentos contra a dor.

* Fonte:
http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI4173532-EI306,00.html

* Em ligação com:
Casos relacionados com “Agulhas no corpo”

[CASO 2] Família de menino que tem agulhas no corpo no MA presta depoimento

Quarta-feira, 23 de Dezembro de 2009

G1.com.br / Rede Globo - 23/12/2009

Vizinhos da família, avós e a mãe do menino que tem agulhas no corpo no Maranhão prestaram depoimento nesta terça-feira (22) na delegacia de São Vicente Ferrer.

O menino de dois anos estava com sete agulhas de costurar na barriga. O caso só foi descoberto quando a mãe levou a criança para tirar um raio-x. Segundo ela, depois que a criança caiu de uma rede.

Cinco costelas e a clavícula estavam quebradas. Duas agulhas foram retiradas numa cirurgia.

As outras ficaram, porque os médicos consideram que, por enquanto, elas não colocam a vida do menino em risco.

“Não há como garantir que não haverá nenhum deslocamento, que estas agulhas não podem se fragmentar. Isso não temos como garantir. Ele vai ter que ser acompanhado”, explica o médico Marcos Raíces

Os pais negam que tenham introduzido as agulhas. “Não sei nem como explicar, porque nem sei como foi que surgiu. Só descobri depois do raio-x”, diz a mãe.

A Polícia Civil acredita que o menino pode ter sido vítima de um ritual religioso.

Por causa das fraturas, a mãe pode ser indiciada por lesão corporal dolosa e por negligência. Até que terminem as investigações, por decisão da Justiça, a criança ficará com os avós.

* Fonte / VÍDEO:
http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL1424407-5598,00.html

* Em ligação com:
[CASO 2] MA também investiga caso de menino com agulhas no corpo

Casos relacionados com “Agulhas no corpo”

[CASO 2] Polícia do Maranhão investiga outro caso de bebê com agulhas no corpo

Quarta-feira, 23 de Dezembro de 2009

G1.com.br / Rede Globo - 21/12/2009

No interior do Maranhão, aconteceu um outro caso de criança com agulhas no corpo. Nesta segunda-feira (21), a polícia de São Vicente Férrer, a 300 quilômetros de São Luís, começa a ouvir os pais e os avós de um menino de dois anos.

Em agosto passado, a criança teve uma queda e um raio-X revelou que ela tinha sete agulhas na barriga. Duas já foram retiradas pelos médicos. Por determinação da Justiça, o menino está vivendo com os avós paternos. Os pais negam ter introduzido as agulhas no filho.

* Fonte [CLIQUE ABAIXO E VEJA O VÍDEO DA REPORTAGEM]:
http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL1422288-5598,00.html

* Em ligação com:
[CASO 2] MA também investiga caso de menino com agulhas no corpo

Casos relacionados com “Agulhas no corpo”

[CASO 2] Polícia suspeita de magia negra em 2º caso de agulhas

Quarta-feira, 23 de Dezembro de 2009

Agência Estado - 21/12/2009

O delegado Oto Feques, da cidade de São Vicente Férrer, a 75 quilômetros da capital São Luís, afirmou hoje que o caso de uma criança de dois anos encontrada com sete agulhas no abdômen pode ter relação com rituais de magia negra. Na Bahia, um garoto de dois anos também foi vítima de supostos rituais do gênero. A criança foi internada em 10 de agosto pela mãe no hospital municipal de São Vicente Férrer com suspeita de fratura em uma clavícula e em cinco costelas. Entretanto, os exames de raio-x comprovaram que a fratura aconteceu oito dias antes e que havia, no corpo da criança, sete agulhas.

Apesar disso, nem a mãe, nem o pai, souberam explicar como as agulhas foram introduzidas no corpo da criança. Até agora, a criança foi submetida a duas cirurgias. Duas agulhas já foram retiradas e o menino passa bem. Diante do caso, a juíza da comarca de São Vicente Férrer, Denise Pedrosa, retirou a guarda da criança dos pais biológicos. O menino está sob a guarda da avó materna.

Hoje foi iniciada a fase de inquirição do procedimento investigatório do caso. Dois vizinhos do garoto foram intimados a depor e amanhã, os pais biológicos da criança devem prestar depoimento. “A própria mãe afirmou que o pai da criança tem envolvimento com rituais de magia negra. E esse tipo de manifestação religiosa é muito comum aqui na região. Por isso, essa é uma das principais linhas de investigação desse caso”, afirmou o delegado.

Outro fato que tem despertado a curiosidade da polícia diz respeito às contradições nas informações prévias prestadas pelos pais biológicos. Mesmo admitindo que o marido participava de rituais de magia negra, a mãe especulou que a criança pudesse ter se automutilado com as agulhas; o pai, por sua vez, desconversou alegando que passava pouco tempo com a criança. “Na pior das hipóteses, vamos indiciar a mãe por negligência ou abandono de incapaz”, alegou o delegado.

*Fonte:
http://www.estadao.com.br/noticias/geral,policia-suspeita-de-magia-negra-em-2-caso-de-agulhas,485483,0.htm

* Em ligação com:
[CASO 2] MA também investiga caso de menino com agulhas no corpo

Casos relacionados com “Agulhas no corpo”

[CASO 2] MA também investiga caso de menino com agulhas no corpo

Quarta-feira, 23 de Dezembro de 2009

Portal Terra - 21/12/2009

A Polícia Civil do Maranhão investiga mais um caso de um menino de 2 anos que tem agulhas pelo corpo. Segundo o Ministério Público (MP), o caso foi descoberto em agosto, após um exame que apontou sete agulhas no garoto, que mora em São Vicente Férrer.

Duas das agulhas já foram retiradas. Depois que deixou o Hospital São Luís, em agosto, a criança voltou a morar com os pais, que serão ouvidos pela polícia nesta segunda-feira. O MP auxilia nas investigações.

* Fonte:
http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI4169021-EI5030,00.html

* Matérias relacionadas:
[CASO 2] Polícia suspeita de magia negra em 2º caso de agulhas

[CASO 2] Polícia do Maranhão investiga outro caso de bebê com agulhas no corpo

[CASO 2] Família de menino que tem agulhas no corpo no MA presta depoimento

* Em ligação com:
Casos relacionados com “Agulhas no corpo”