Arquivo da Categoria ‘Charlatanismo’

Seita com 6 mil adeptos em Minas cai na mira da PF

Quinta-feira, 9 de Maio de 2013

Estadão - 28/04/2013

Uma seita que arrebanha integrantes na capital paulista para trabalhar sem salário em fazendas e indústrias no interior de Minas Gerais já reúne cerca de 6 mil pessoas. Para ser aceito no “mundo paralelo” do grupo Jesus A Verdade que Marca, é preciso, segundo a polícia e ex-integrantes, doar casa, carro e os demais bens para os líderes e obedecê-los cegamente. As regras incluem a proibição do marido dormir com a mulher, o confinamento em fazendas e alojamentos e o veto a TV e internet.

Durante a Operação Canaã, deflagrada pela Polícia Federal na terça-feira, dois líderes da seita - cujos nomes não foram revelados - acabaram presos por apropriação indébita ao serem flagrados com cartões do Bolsa-Família de integrantes do grupo. Para a PF, o discurso religioso é um atrativo para cooptar mão de obra escrava. “É um grupo extremamente fechado, que busca pessoas em situação vulnerável e as mantém nas propriedades com uma alta carga de doutrinação”, diz o delegado João Carlos Girotto.

O advogado do grupo, Leonardo Carvalho de Campos, argumenta que as fazendas nas cidades de Minduri, São Vicente de Minas, Madre de Deus e Andrelândia são apenas associações de agricultura comunitária (veja ao lado).

Depoimentos de ex-integrantes destoam do que ele diz. Um aposentado de 72 anos conta que o “pastor” Cícero Vicente de Araújo, líder da seita, o convenceu a doar tudo o que tinha porque “todas as estradas iam se fechar e colocariam chips na cabeça das pessoas”. “O pastor disse que só quem fosse para aquela região de Minas conseguiria viver bem.” Há três anos, o homem tenta reaver na Justiça os R$ 32 mil de um carro e parte do dinheiro de uma casa que vendeu para aderir à seita. Para manter os fiéis, o ex-adepto conta que os pastores afirmavam que as pessoas que saíssem seriam amaldiçoadas. “Eles diziam que os demônios destruiriam aqueles que saíssem e passavam uns filmes da inquisição.”

Carne. Apesar de todos se tratarem por irmã ou irmão, os ex-membros relatam disparidade de tratamento. “Eu passava as noites limpando tripa, cabeça e pé de boi para comermos. A carne ia para os líderes”, contou uma ex-adepta da seita, de 42 anos, que vendeu a casa e doou para o grupo. A vigilância é outra característica, diz ela. “Minhas duas filhas, de 20 e 22 anos, ficaram lá e há dois anos não as vejo.” Um médico do Programa de Saúde da Família conta que os integrantes não ficam desacompanhados nem durante as consultas.

A PF não localizou o pastor Araújo. A suspeita é de que ele esteja articulando a expansão da seita para a cidade de Ibotirama (BA). Publicamente, o grupo tenta se desvincular do caráter religioso e formou seis associações de agricultores. A polícia crê que as entidades, com fazendas arrendadas, sirvam como fachada para um esquema de lavagem de dinheiro, supressão de direitos trabalhistas e formação de quadrilha. Uma lista com nome dos eleitores fará a investigação verificar a possibilidade de manejo político. Dois vereadores da região são identificados com a seita. Ex-fiéis afirmam que Araújo os arrebanhou em igrejas na Lapa, zona oeste da capital, e Osasco. Os templos mudam constantemente de endereço. A PF averigua a existência de um novo na região da Sé.

* Fonte:
http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,seita-com-6-mil-adeptos-em-minas-cai-na-mira-da-pf,1026279,0.htm

MP-RJ denuncia seita que usava ‘fim do mundo’ para abusar de jovem

Sábado, 26 de Janeiro de 2013

Portal Terra - 25/01/2013

2012_ritual_2.jpg

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou nesta sexta-feira o líder de uma seita religiosa e outras quatro pessoas que o teriam ajudado a abusar sexualmente de uma adolescente de 17 anos em dezembro de 2012 em Niterói. Segundo o MP, o crime ocorreu após a vítima ser submetida a longo processo de manipulação, que consistia em tortura psicológica envolvendo o ‘fim do mundo’.

Ailton Aires Araujo Junior, líder de um grupo denominado Centro de Estudos de Autoconhecimento, que prega doutrinas místicas, teve a prisão preventiva decretada, assim como Fábio Vasconcelos, integrante da seita. Os outros denunciados são Livia Vasconcelos, Jansen Lima Araujo e Maria Madalena Batista Vasconcelos.

Fábio e Lívia são acusados de ajudar Ailton, que está foragido, a abusar da vítima no dia 12 de dezembro de 2012, em uma residência no bairro Badu, em Niterói. Segundo o MP, durante seis anos, eles “doutrinaram” a adolescente com ideias esotéricas e ocultistas, associadas a previsões catastróficas quanto ao fim do mundo, a partir de interpretação distorcida do calendário maia. Segundo eles, o mundo acabaria entre os dias 21 e 23 de dezembro do ano passado.

Na denúncia, ajuizada pelo promotor de Justiça Rubem Vianna, da 7ª Promotoria de Investigação Penal da 2ª Central de Inquéritos, o MP relata que, “valendo-se da fragilidade da vítima”, Ailton e os demais denunciados “a convenceram de que, para que ela fosse salva da catástrofe mundial, deveria ser submetida a uma série de sacrifícios e determinadas provas, dentre as quais o relacionamento sexual”.

De acordo com as investigações, não houve conjunção carnal. No entanto, foram cometidos diversos atos sexuais com a jovem em mais de uma ocasião, tudo sob o argumento de que ela “ultrapassaria o ’sol’ e atingiria a purificação e a iluminação” ao se submeter aos “rituais”.

Segundo o promotor, ainda com a ajuda de Madalena e Jansen, Ailton coagiu a adolescente a fugir da casa de seus pais no dia 20 de dezembro e encontrá-lo em um abrigo, onde estaria protegida do “apocalipse”.

* Fonte:
http://noticias.terra.com.br/brasil/policia/mp-rj-denuncia-seita-que-usava-fim-do-mundo-para-abusar-de-jovem,7d6263094347c310VgnVCM3000009acceb0aRCRD.html#tarticle

EUA: 52 garotas são resgatadas de seita poligâmica

Sábado, 5 de Abril de 2008

BBC Brasil / Portal Terra - 05/04/2008

Autoridades do Estado americano do Texas retiraram 52 meninas do rancho de uma seita poligâmica na tarde desta sexta-feira após uma adolescente de 16 anos que vivia no local ter feito uma queixa de abuso físico.

O Serviço de Proteção à Criança do Texas procura casas de abrigo e cuidados para as meninas, com idades de 6 meses a 17 anos. Dezoito delas estão sob custódia do Estado.

O proprietário do rancho na cidade de San Antonio é o líder da Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Último Dia (FLDS, sigla em inglês), Warren Jeffs, que foi preso em novembro por 10 anos por cumplicidade em um estupro.

Jeffs foi condenado após ter forçado uma adolescente de 14 anos a se casar com seu primo.

Isoladas do mundo
O líder religioso, que se proclama profeta, aguarda outros julgamentos no Arizona, em que é acusado de ser cúmplice em quatro casos de incesto e conduta sexual com uma menor de idade fruto de dois casamentos arranjados.

O Serviço de Proteção à Criança do Texas afirmou que após entrevistar as 52 meninas decidiu que nenhuma vai retornar ao rancho.

“Estamos lidando com crianças que não estão acostumadas ao mundo exterior, por isso estamos tentando ser bastante sensíveis em relação a suas necessidades”, afirmou Marleigh Meisner.

Poligamia
De acordo com o jornal San Antonio Times, um mandado de busca procura registros relacionados ao nascimento de crianças de uma adolescente de 16 anos e outros sobre seu casamento com um homem de 50 anos. Autoridades afirmaram que a garota ainda não foi encontrada.

Nenhuma prisão foi realizada e autoridades disseram que pessoas do rancho estão “ajudando nas buscas”.

Acredita-se que cerca de 150 pessoas vivam no local.

A seita, que tem cerca de 10 mil seguidores e domina as cidades de Colorado City, no Arizona, e Hildale, em Utah, é uma dissidência da igreja Mormon.

Os integrantes da seita acreditam que o homem precisa casar com pelo menos três mulheres para subir ao céu. As mulheres, por sua vez, são ensinadas que seu caminho para o céu é a subserviência ao marido.

A poligamia é ilegal nos Estados Unidos, mas as autoridades relutam em enfrentar a FLDS por medo de provocar uma tragédia similar à que aconteceu em 1993 na sede da seita Branch Davidian, em Waco, no Texas, quando 80 fiéis morreram em choques com a polícia.

FONTE:
http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/(…).html

Associação critica seita: Bíblia não separa famílias

Domingo, 27 de Janeiro de 2008

PORTAL TERRA

O presidente da Associação de Pastores Evangélicos da Grande Vitória, pastor Enoque de Castro, afirma que a seita Tabernáculo de Vitória está fora da forma convencional de Igreja. O grupo, que se prepara e acredita que o dia do juízo final está próximo, é formado por famílias que vivem isoladas, sem contato com parentes, em uma espécie de condomínio fechado em Vitória (ES). Para fazer parte, elas se desfazem de todos os bens pessoais.

“Porque a visão bíblica não separa as famílias, muito pelo contrário, ela faz com que você tenha uma unidade, onde cada um vive na sua casa. Os nossos próprios filhos já têm temperamentos tão diferentes, imagina você querer que eles vivam todos juntos, aí pode-se criar um problema social muito grande”, afirmou.

O pastor Enoque de Castro afirmou que o pastor Inereu Vieira Lopes, que preside a instituição, não é agregado à associação e nem o Tabernáculo de Vitória está vinculado à entidade. “Isso é outro agravante porque qualquer pessoa que é independente, que não pertence a uma convenção, a um grupo que está debaixo de um conselho, é um problema muito sério. Eu acho que todo líder tem que prestar conta a alguém. Um homem sozinho é perigoso demais. Isso que ele está pregando é muito prejudicial para essas pessoas que estão de boa fé. Pode ser até que ele esteja de boa fé, eu não estou aqui para julgar ninguém, nem achar que ele é um mau caráter ou maquiavélico, mas ele também pode estar equivocado”, diz.

O pastor Inereu Vieira Lopes, responsável pela instituição, foi procurado para falar sobre a Igreja Tabernáculo Vitória, mas não quis dar entrevista.

De acordo com o doutor em Ciências da Religião e professor da Universidade Fedral do Espírito Santo (Ufes), Edebrande Cavalieri, o caráter messiânico e escatológico - discurso de que o fim do mundo está próximo - são pontos fundamentais que ajudam a caracterizar a Igreja Tabernáculo Vitória. “Essa é uma Igreja de origem neo-petencostal, que nasceu nos Estados Unidos. No caso da Tabernáculo, esse messianismo é a partir da idéia da volta, o mais rápido possível, do salvador, de Jesus Cristo. Isso se torna um atrativo para os fiés”, explicou.

Segundo Cavalieri, geralmente, os movimentos neo-pentecostais não possuem uma fundamentação teológica consistente. “Eles se apóiam muito em uma leitura fundamentalista da escritura, em uma interpretação, às vezes, literal da escritura com pouco ou nada de caráter científico”, afirmou.

A prática da venda dos bens e de se socializar os bens particulares, na visão do professor, tem uma forte motivação religiosa e também uma perspectiva de fanatismo. “Se faz uma pregação intensa, aí as pessoas se entregam. Uma pregação sobre o fim iminente do mundo e a vinda do Messias acaba se tornando uma pregação que as pessoas aderem com muita rapidez e facilidade”, disse.

Ainda segundo o doutor em Ciências da Religião, as igrejas neo-pentecostais são as que mais crescem no continente latino-americano. “A tendência é que essa Igreja cresça e sempre nas camadas menos favorecidas da população. A religião virou um mercado vasto, complexo e sem controle. Nós estamos caminhando para um mundo cada vez mais plural, a hegemonia católica já acabou”, completou.

FONTE:
http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/(…).html

ES: vizinhos de seita isolada temem tragédia

Domingo, 27 de Janeiro de 2008

PORTAL TERRA

Os vizinhos da comunidade Tabernáculo Vitória, localizada em Vitória (ES), se sentem incomodados e preocupados com o que acontece na seita. O grupo, que se prepara e acredita que o dia do juízo final está próximo, é formado por famílias que vivem isoladas, sem contato com parentes, em uma espécie de condomínio fechado. Para fazer parte da igreja, elas se desfazem de todos os bens pessoais.

O auxiliar administrativo Henrique Duarte, 27 anos, teme que aconteça uma tragédia no local. “A gente sabe de outras comunidades como essa, até fora do País, em que aconteceram suicídios coletivos por causa do fanatismo religioso”, explica o morador de Santo Antônio.

Um grande muro, com portões de ferro e câmeras de vídeo, faz a vigilância do local e impede a entrada de estranhos. Até parentes de moradores do condomínio são proibidos de entrar. No local, há também homens que fazem vigilância noturna.

Um outro vizinho, que preferiu não ser identificado, conta que é comum ver parentes de seguidores tentando entrar no prédio. “Tem um rapaz, de uns 30 anos, que morava aí e depois decidiu deixar a comunidade. A mulher dele não quis sair e hoje ele não pode entrar nem para ver os filhos”, relata.

Do alto de uma ladeira próxima à comunidade, é possível ver que os fiéis passam a maior parte do tempo orando e que fazem refeições no local, onde há uma cozinha comunitária. A igreja também se encarrega de vender os alimentos aos fiéis. A comida pode ser comprada no restaurante localizado no terreno do templo.

Nem mesmo ex-membros da comunidade têm acesso ao prédio. A dona-de-casa Romilda Ferreira da Silva, 63 anos, freqüentou o Tabernáculo Vitória por dois anos. Ela deixou a comunidade porque não queria se separar do marido e dos filhos. “O pastor Inereu prega que todos que realmente acreditam nele e nas palavras de Deus deixem tudo e confiem no amor divino”, relata a dona-de-casa, que convive com a angústia de ter perdido o contato com os dois filhos mais velhos, que escolheram permanecer como seguidores do Tabernáculo.

FONTE:
http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/(…).html

ES: em nome da fé, fiéis se isolam e vendem os bens

Domingo, 27 de Janeiro de 2008

Eliana Gorritti - Direto de Vitória (PORTAL TERRA)

Uma pequena comunidade religiosa vem chamando a atenção dos capixabas. É a seita Tabernáculo Vitória, localizada no bairro Santa Tereza, região da Grande Santo Antônio, em Vitória (ES). O grupo, que se prepara e acredita que o dia do juízo final está próximo, é formado por famílias que vivem isoladas, sem contato com parentes, em uma espécie de condomínio fechado. Para fazer parte da igreja, elas se desfazem de todos os bens pessoais.

Mais de 200 fiéis vivem em 150 quitinetes em um prédio de cinco andares, que foi erguido em regime de mutirão. A instituição é presidida pelo pastor Inereu Vieira Lopes. Uma funcionária da igreja que, com medo de represálias, preferiu não se identificar, disse que os cultos são restritos aos membros da comunidade que moram nas quitinetes. “Todos os cultos são celebrados a portas fechadas”, contou.

É assim, à margem da sociedade, que essas pessoas aguardam o retorno de Jesus no chamado Dia da Salvação. Para entrar e sair da comunidade é preciso se identificar pelo primeiro nome e olhar para uma das câmeras que ficam em frente ao portão principal. Quem entra e sai do local não fala com ninguém.

O que preocupa familiares e amigos dessas pessoas é o fato de que os fiés se desfazem de todos os bens pessoais. Tudo precisa ser entregue para a administração da comunidade. Muitos fiéis já venderam todos os bens que possuíam e entregaram o dinheiro para a igreja, em troca da “salvação”.

Foi o que aconteceu com o filho do marceneiro João Lopes. Ele conta que o filho, de 31 anos, há cerca de nove meses vendeu tudo que tinha para morar com a mulher e três filhos na comunidade. Segundo Lopes, ele vendeu a casa, um carro e uma placa de táxi e entregou todo o dinheiro, mais de R$ 200 mil, ao pastor Inereu. “Acho que eles sofreram uma lavagem cerebral. Como pode alguém entregar tudo que construiu em uma vida para seguir as promessas desse pastor?”, questiona Lopes.

Os parentes dos seguidores afirmam que o pastor Inereu e seu filho andam em carros de luxo. “De onde eles tiraram dinheiro para comprar esses carros, se ninguém pode trabalhar fora da igreja? E por que eles têm carros, se afirmam que só quem abrir mão dos bens materiais vai encontrar a salvação?”, questiona Lopes.

O delegado Lauro Coimbra, chefe da Delegacia de Defraudações e Falsificações, disse que só pode intervir na Igreja se algum dos fiéis procurar a polícia. “Para abrir um boletim de ocorrência nós temos que ter uma vítima. A polícia precisa de uma vítima que fale que foi enganada e que se sentiu lesada por ser induzida a se desfazer dos bens. Uma pessoa que fale que doou porque foi iludida, ludibriada e perdeu o dinheiro. Sem a vítima, não há crime”, explicou.

De acordo com o delegado, se surgir uma vítima, o pastor pode ser indiciado por vários crimes, como estelionato e falsidade ideológica. “As características são de um golpe. Mas a polícia fica de mãos atadas porque as pessoas estão lá dentro por vontade própria. E cada um faz o que quer com os bens que possui”, afirmou.

O pastor Inereu Vieira Lopes, responsável pela instituição, foi procurado para falar sobre a Igreja Tabernáculo Vitória, mas não quis dar entrevista.

FONTE:
http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/(…).html

Homem que diz ser “vampiro” é preso em São Paulo

Quarta-feira, 7 de Novembro de 2007

Por: Redação Terra

Homem que diz ser vampiro é preso em São PauloO místico Vandeir Máximo da Silva, 27 anos, que se autodenomina Vampiro e usa o codinome de Wlad Hacamia, foi preso nesta quarta-feira, em Presidente Prudente (565 Km a oeste de São Paulo). Ele é acusado de aliciar jovens e morder seus pescoços para que eles se tornem “seres da noite”.

Segundo a polícia, Wlad estaria aliciando os adolescentes para que participassem da seita “Legião de Salvadores do Mundo”, onde ele promete aos menores poderes sobrenaturais como a imortalidade, pois os transformaria em anjos dotados de asas, que seriam vampiros e guardiões de cemitérios.

O suspeito teria abordado os adolescentes em um shopping da cidade e nas imediações de algumas escolas. Ele convidaria os jovens de ambos os sexos para reuniões na praça das Cerejeiras que fica no Jardim Icaray, em Prudente.

Ontem, o delegado Dirceu Gravina, titular do 4º Distrito Policial de Presidente Prudente ouviu diversos adolescentes que tiveram contato com o suposto vampiro. Por meio das informações colhidas pelos adolescentes, a Polícia Civil descobriu que os jovens são adeptos do estilo de vida emo.

Gravina explicou que os adeptos desse grupo, na sua maioria, praticam a psicosexopatia denominada vampirismo: “Nesse caso, a satisfação da libido é alcançada ao sentir o sangue de outra pessoa”, relata a autoridade.

FONTE:
http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/(…).html