Arquivo da Categoria ‘Musica’

Música usada em fundo musical de canal diz “Não precisamos de Jesus”

Sexta-feira, 27 de Dezembro de 2013

Por Gustavo Guerrear, editor do Tabernaculonet - 27/12/013

No último dia 10 (10/12/2013) estava, como gosto de fazer, assistindo ao canal pago OFF, da Globosat. Aliás, este canal é ótimo, e suas belas imagens chegam a ser “desestressantes”. É importante destacar também que os programas destes canais costumam ser criados por produtoras independentes. Não sei se é o caso aqui, mas existe essa possibilidade.

Neste dia estavam sendo executadas de fundo várias músicas, como de costume, enquanto apareciam imagens de praias e da prática de surfe. Entre elas uma me chamou atenção, pois apesar de distraído ouvi a palavra “Jesus”. A princípio gostei, mas quando prestei atenção na letra da música, vi que não era o que eu estava pensando…

Pesquisando no Google por frases da letra, descobri que se tratava da música “Modern Jesus” da banda “Portugal. The Man. Veja a letra original e a tradução:

Modern Jesus (letra original)

Come on in
Take a seat next to me
You know we got
We got what you need

We may be liars
Preaching to choirs
But we can
We can sell your dreams

You don’t need sympathy
They got a pill for everything
Just take that dark cloud
Ring it out to wash it down, but

Don’t pray for us
We don’t need no modern Jesus
To roll with us
The only rule we need is never giving up
The only faith we have is faith in us

We’re the ones who start little fires
Yet they burn out
But when they’re on the rise
They can’t help but shine

And when the wave approaches
Take our ashes to the ocean
Who cares if hell awaits?
We’re having drinks at heaven’s gate, so

Don’t pray for us
We don’t need no modern Jesus
To roll with us
The only rule we need is never giving up
The only faith we have is faith in us

We know that we’re helpless
At least we always assume
But we don’t need to prove nothing to you

Let’s keep the cool
You don’t need to feel blue
Cause we won’t sell you nothing
You can’t use

Don’t pray for us
We don’t need no modern Jesus
To roll with us
The only rule we need is never giving up
The only faith we have is faith in us

Modern Jesus (tradução do site Letras.mus.br)

Venha
Sente-se ao meu lado
Você sabe que nós temos
Temos o que você precisa

Nós podemos ser mentirosos
Pregando em coros
Mas podemos
Podemos vender os seus sonhos

Você não precisa de simpatia
Eles tem uma pílula para tudo
Basta tomar essa nuvem escura
Tocá-la para fora para lavá-lo agora

Não rogai por nós
Nós não precisamos de Jesus moderno
Para nos converter
A única regra de que precisamos é nunca desistir
A única fé que temos é a fé em nós mesmos

Nós somos aqueles que começam pequenos incêndios
No entanto, eles queimam
Mas quando eles estão em ascensão
Eles não podem deixar de brilhar

E quando a onda se aproxima
Leve nossas cinzas ao mar
Quem se importa se o inferno espera
Nós estamos bebendo no portal do paraíso, então

Não rogai por nós
Nós não precisamos de Jesus moderno
Para nos converter
A única regra de que precisamos é nunca desistir
A única fé que temos é a fé em nós mesmos

Sabemos que estamos desamparados
Pelo menos sempre admitimos
Mas não temos nada a provar para vocês

Vamos mantê-lo fresco
Você não precisa se sentir triste
Porque nós não vamos vender nada
Você não pode usar

Não rogai por nós
Nós não precisamos de Jesus moderno
Para nos converter
A única regra que precisamos é nunca desistir
A única fé que temos é a fé em nós mesmos

Fonte da letra:
http://letras.mus.br/portugal-the-man/modern-jesus/traducao.html

“Portugal. The Man” é uma banda norte-americana de rock psicodélico. Detalhe: música psicodélica é música regada a drogas e alucinógenos que, curiosamente, surgiu na cidade de San Francisco, na Califórnia, EUA (onde está a mais antiga sede da Alta Cúpula Satanismo).

Não tive tempo para analisar outras letras (se você tiver e descobrir algo, mande por e-mail ou comente aqui), mas uma pesquisa rápida sobre a banda mostra que um álbum lançado em 2009 chama-se The Satanic Satanist (”O Satanista Satânico”). Além disso as imagens relacionadas à banda também remetem bastante ao Satanismo, como algumas imagens promocionais de divulgação e capas de álbuns. Veja algumas abaixo:

ptm_portugal_the_man_01.jpg

ptm_portugal_the_man_11.png

ptm_portugal_the_man_02_the_satanic_satanist.jpg

ptm_portugal_the_man_03_evil_friends.jpg

ptm_portugal_the_man_04_evil_friends.jpg

ptm_portugal_the_man_05_evil_friends.jpg

ptm_portugal_the_man_06_evil_friends.jpg

ptm_portugal_the_man_07_evil_friends.jpg

ptm_portugal_the_man_08_evil_friends.jpg

ptm_portugal_the_man_09_evil_friends.jpg

ptm_portugal_the_man_10_evil_friends.jpg

Uma dessas imagens chama ainda mais atenção pois trata-se de uma “versão” do famoso símbolo satânico “Olho que tudo vê“, e está na capa do álbum The Satanic Satanist, já mostrada acima. Veja:

ptm_the_satanic_satanist_all_seeing_eye_symbol.png

Além disso, muitas imagens relacionadas ao álbum “Evil Friends” (mostradas acima) se parecem com imagens usadas por satanistas para representar demônios (se quiser mais informações sobre o Satanismo veja nossa referida página).

Conclusão

A princípio imaginei que a banda tivesse feito uma música que representasse pensamentos ateístas, ou estivesse zombando de algo que não tem valor para eles. Porém ao investigar um pouco mais (nem fui tão a fundo assim), descobri vários fatos que somados me levam a crer que a banda (ou pelo menos o líder dela) tem uma estreita ligação com o Satanismo, sabendo claramente o que está fazendo. Não é uma afirmação “vazia” ou ilógica. Simplesmente avalie os fatos mostrados aqui ou, se achar necessário, faça uma pesquisa sobre a banda.

Mais uma vez chamo atenção para o cuidado que devemos tomar com as bandas e músicas que ouvimos. Veja por exemplo o caso retratado aqui sobre uma música satânica usada como plano de fundo em um episódio da série Revenge, que é um caso parecido. Fique ligado!

* Autor: Gustavo Guerrear, editor do Tabernaculonet.

Banda Ghost fala de satanismo e catolicismo

Domingo, 22 de Setembro de 2013

Estadão - 20/09/2013

ghost_bc_rock_in_rio_03.jpg

Surpresa do heavy metal até agora no Rock in Rio, o grupo Ghost B.C., da Suécia, alia um senso de teatralidade com grande conhecimento do rock clássico. Eles são cinco, mas ninguém sabe quem é quem. O líder é o cantor, Papa Emeritus The Second (que se veste como um papa do Além). Os outros músicos, extraordinários, são chamados apenas de “almas penadas sem nome”. Vestem uma fantasia meio bizarra – parecem Darth Vaders de missa satânica.

O Estado conversou com exclusividade com uma dessas almas penadas, no camarim, logo após seu show no Palco Mundo do Rock in Rio. O músico reclamou do extravio de bagagens na turnê, entre Europa e México, que os fez inclusive pensar em cancelar apresentações. Só não o fizeram porque queriam muito vir à América do Sul e todos os promotores da região tinham sido muito legais com a banda. O papa, confidenciou Nameless Ghoul, estava já descansando porque sua rotina tem sido dura (na verdade, pode ter sido o próprio papa a falar, porque eles costumam inverter os papéis, segundo sua empresária).

“Nosso principal inimigo são as religiões lineares. Elas são três, essencialmente: católica, judaica e muçulmana. Mas, como fui criado na Europa, como cristão, sei o peso que tem uma escolha estática religiosa. Não sou judeu, não sou muçulmano, então também essa é a explicação pela qual o alvo é a religião católica. Das três religiões, é a que tem uma tradição muito forte, seus dogmas são claros e bem documentados, assim como as blasfêmias. Mas é preciso lembrar que, no fim das contas, o que fazemos é entretenimento”, disse Nameless Ghoul.

O músico lembrou que, há dois anos, eles estavam dando os primeiros passos no sentido de se estabelecerem como uma banda, e que subitamente o conceito que criaram, de banda sem rosto, ficou mais e mais conhecido. Ele acredita que os passos seguintes poderão levá-los a se aproximar da superfície”, ou seja: abandonar as máscaras. “A gente se expõe todo dia. Todo dia fãs nos reconhecem. Não usamos máscaras porque somos tímidos ou porque não gostamos de falar sobre alguma coisa”, afirmou.

Ele também falou de músicas que contém satanismo, e disse que a banda já sofreu com perseguições de grupos religiosos e da própria igreja católica por sua abordagem.  A TV Estadão exibe amanhã a conversa na íntegra.

* Fonte:
http://blogs.estadao.com.br/radar-cultural/ghost-fala-de-satanismo-e-catolicismo/

* Vídeo:
http://tv.estadao.com.br/videos,GHOST-E-A-ESTETICA-DAS-SOMBRAS,211727,253,0.htm

* Leia também:
Rock’n'roll secular I: Sinais de envolvimento com Ocultismo

Rock’n'Roll secular II: Declarações de amor à Satanás

Rock’n'roll secular III: Associação entre Rock e Satanismo

‘Missa’ macabra do Ghost é mal recebida no Palco Mundo

Domingo, 22 de Setembro de 2013

G1 - 19/09/2013

ghost_bc_rock_in_rio_02.jpg

Se o objetivo do Ghost é mesmo meter medo, o show (ou “missa satânica”) no Rock in Rio não saiu como planejado. O sexteto sueco de metal foi recebido com frieza, em apresentação bem menos aplaudida do que a do Sepultura, que abriu o Palco Mundo.

Para um vocalista que se diz “Papa macabro”, até que o homem de frente do Ghost é simpático. “Boa noite, Rio”, disse, em português, antes de cantar “Per aspera ad inferi”. “Muito obrigado, gente”, disse, pouco depois. “Vamos participar”, pediu no final, com voz mansa, quando mandou até beijos para seus (pouquíssimos) admiradores.

Gritos por Metallica

Em músicas com mais apelo pop, como “Ritual”, a banda ouviu provocações da plateia. “Anitta”, zombou um metaleiro. Outro grupinho clamou por Slayer, escalado para o domingo (22). Havia também gritos por Metallica em quase todas as pausas entre as músicas.

Disperso, o público tomava cerveja, conversava gritando e aplaudia ao fim de cada canção. Parecia aplaudir por educação. Em momentos piano, voz e bateria (como o início de “Gulleh”), o bate-papo da plateia ficou mais alto do que a música que ecoava das caixas de som.

O show não entrega o que a banda havia prometido em entrevistas. A espécie de culto, com peso somado a hinos religiosos e canto gregoriano, não tem nada de inventiva. A bizarrice do Ghost não assusta, não diverte. Só esfriou a plateia.

Em pouco menos de uma hora de “culto”, a plateia do primeiro dia de metal provou ser mais exigente do que a dos outros três dias, que quase  sempre aplaudiu e cantou. Se tivessem sido escalados para outra noite, talvez mais incautos tivessem comprado a ideia do Ghost.

* Fonte:
http://g1.globo.com/musica/rock-in-rio/2013/noticia/2013/09/missa-macabra-do-ghost-e-mal-recebida-no-palco-mundo.html

* Leia também:
Rock’n'roll secular I: Sinais de envolvimento com Ocultismo

Rock’n'Roll secular II: Declarações de amor à Satanás

Rock’n'roll secular III: Associação entre Rock e Satanismo

Em noite de heavy metal, Rock in Rio tem até invocação satânica

Domingo, 22 de Setembro de 2013

Gospel Prime - 19/09/2013

ghost_bc_rock_in_rio_01.jpg
[Foto: G1] (clique para ver em tamanho maior)

O papa Francisco esteve no Rio de Janeiro em maio para a Jornada Mundial da Juventude. Em setembro, foi a vez de Papa Emeritus 2, vocalista da banda de heavy metal Ghost BC [Fantasmas antes de Cristo]. Ele veio acompanhado de músicos encapuzados e mascarados, que formam a banda.

A plateia do show fazia os tradicionais “chifrinhos” com as mãos.  Com um visual e letras carregadas de escárnio à igreja cristã, o grupo sueco se apresentou nesta quinta (19), o quarto dia de festival e o primeiro dedicado ao heavy metal.

O Ghost BC só toca músicas marcadas por um tom macabro. Para eles cada show é uma “missa negra”. A verdadeira face dos seus integrantes é desconhecida. Apenas o vocalista tem nome, os demais integrantes são chamados de “ghouls”, ou morto-vivo em tradução livre. A maquiagem carregada dá um aspecto sombrio enquanto ele mostrava cruzes invertidas e invocava o demônio sobre a cidade. As letras aludem ao satanismo, catolicismo e entidades como zumbis. Muitos dos presentes usavam camisetas e até fantasias com os temas prediletos da banda.

Uma das músicas cantadas foi “Depth Of Satan’s Eyes”, que diz “Ao flamejante olhar/À luz ardente/Dos raios de satanás/À fonte de sabedoria/Além do que a Bíblia afirma/À profundidade sem fim/Dos olhos de Satanás/ Seus olhos são cativantes/Seus olhos como um redemoinho/Um poço no qual você está caindo”.

Muitos que estavam na Cidade do Rock já haviam visto a apresentação anterior, do grupo brasileiro Sepultura, que no início da carreira também usava imagens demoníacas. No palco Sunset, Rob Zombie apresentou-se com seu som pesado e letras cheias de referências ao horror e a demônios. A grande atração da noite é o Metallica, que também toca música com temas anticristãos. Com informações do UOL.

* Fonte:
http://noticias.gospelprime.com.br/rock-in-rio-invocacao-satanica/

* Leia também:
Rock’n'roll secular I: Sinais de envolvimento com Ocultismo

Rock’n'Roll secular II: Declarações de amor à Satanás

Rock’n'roll secular III: Associação entre Rock e Satanismo

Primeira temporada da série Revenge terminou ao som de música satânica

Sexta-feira, 5 de Julho de 2013

Por Gustavo Guerrear, editor do Tabernaculonet - 04/07/013

Não é meu objetivo falar de séries de TV, mas só vou contextualizar. Há algum tempo atrás comecei a assistir a série de TV norte-americana “Revenge“. A princípio comecei assistindo na Globo, enquanto esperava a transmissão do programa do UFC. Depois vi que a primeira temporada da série havia entrado no Netflix e resolvi assistir. Terminei ontem à noite.

No fim das contas cheguei à conclusão que não vou assistir a segunda temporada. A série tem algumas histórias muito interessantes, mas tem muita coisa ruim (obviamente dentro do tema central: vingança) e achei que transmite uma carga negativa muito grande. Claro que isso tudo é algo totalmente pessoal, e logicamente cada pessoa lida de um jeito com esse tipo de coisa.

Eu não tenho problemas para separar ficção de realidade, mas o fim da picada ocorreu no último episódio da primeira temporada que, como disse anteriormente, assisti ontem. Os últimos 5 minutos do episódio foram mostrados enquanto tocava uma música específica (não lembro de tê-la ouvido nos episódios anteriores, nem nunca na vida). De cara achei a música muito estranha. Cabia totalmente nas imagens que estavam sendo transmitidas e aparentemente criava o clima necessário ao “gran finale” da primeira temporada. Porém a melodia me incomodava muito, tanto que não consegui prestar atenção totalmente nas imagens que mostravam o fechamento daquela parte da história. Era uma melodia, de modo geral, bastante carregada e intensa, cadenciada. Pouco tempo depois de perceber isso tudo acabei associando aquela música a músicas utilizadas em celebrações e rituais do Satanismo (que conheço por estudar o assunto).

Eu já estava a ponto de colocar a TV no “mudo” (dado o incômodo criado pela música claramente satânica) quando percebo a chegada do refrão, ainda mais intenso, e pra minha surpresa, de repente, ouço as palavras ”seven devils” (sete demônios) começando uma frase. Nem estava prestando muita atenção na letra, até porque eu já estava incomodado só com a melodia, mas logo em seguida ouvi o próximo verso: “seven devils in my house” (sete demônios em minha casa). Rapidamente tirei o som da TV e fui procurar saber que música era essa.

Afirmo categoricamente que é uma música satânica. Tanto a melodia quanto a letra. Não há como dizer que foi por acaso, ou que existe outro sentido, outra interpretação nas frases da letra. Ela é explicitamente e claramente satânica. Qualquer pessoa tem uma mínima noção de como ocorre a criação de uma música, de uma letra. Música é arte, é inspiração, é expressão de ideias, emoções e sensações. Diante disso fica muito fácil afirmar que essa música foi criada especificamente para ser satânica, demoníaca, para tentar influenciar negativamente as pessoas. Quem a criou sabia, e muito bem, o que estava fazendo. Muito provavelmente é alguém que tem experiência direta com o Satanismo ou alguma seita diretamente ligada a esta. Posso afirmar sem sombra de dúvidas que é uma música diretamente inspirada e influenciada por demônios (assim como existem muitas músicas “new age” que também são).

Obviamente não vou pedir que você ouça a música, mas veja a letra e saberá do que estou falando:

Letra original:

Seven devils

Holy water cannot help you now

A thousand armies couldn’t keep me out

I don’t want your money

I don’t want your crown

See, I have to burn your kingdom down

Holy water cannot help you now

See, I’ve had to burn your kingdom down

And no rivers and no lakes can put the fire out

I’m gonna raise the stakes

I’m gonna smoke you out

Seven devils all around me

Seven devils in my house

See, they were there when I woke up this morning

I’ll be dead before the day is done

Seven devils all around you

Seven devils in your house

See, I was dead when I woke up this morning

I’ll be dead before the day is done

Before the day is done

And now all your love will be exorcised

And we will find you saying it’s to be paradise

And it’s an even sum

It’s a melody

It’s a battle cry

It’s a symphony

Seven devils all around me

Seven devils in my house

See, they were there when I woke up this morning

I’ll be dead before the day is done

Seven devils all around you

Seven devils in your house

See, I was dead when I woke up this morning

I’ll be dead before the day is done

Before the day is done

Before the day is done

Before the day is done

They can keep me high

‘Till I tear the walls

‘Till I save your heart

And I take your soul

And what have been done

Cannot be undone

In the evil’s heart

In the evil’s soul

Seven devils all around you

Seven devils in your house

See I was dead when I woke up this morning

I’ll be dead before the day is done

Before the day is done

————————————————————————— 

Tradução básica:

Sete demônios

Água benta não pode te ajudar agora

Mil exércitos não puderam me conter

Não quero seu dinheiro

Não quero sua coroa

Veja, eu tenho que queimar o seu reino inteiro

Água benta não pode te ajudar agora

Veja, eu tive que queimar seu reino

E nenhum rio e nenhum lago pode apagar o fogo

Vou levantar as estacas

Vou acabar com você

Sete demônios ao meu redor

Sete demônios na minha casa

Veja, eles estavam lá quando acordei esta manhã

Eu estarei morta antes do dia acabar

Sete demônios ao seu redor

Sete demônios na sua casa

Veja, eu estava morta quando acordei esta manhã

Estarei morta antes do dia acabar

Antes do dia acabar

E agora todo o seu amor será exorcizado

E veremos você dizer que é como estar no paraíso

E é uma quantia exata

É uma melodia

É um choro final

É uma sinfonia

Sete demônios ao meu redor

Sete demônios na minha casa

Veja, eles estavam lá quando acordei esta manhã

Eu estarei morta antes do dia acabar

Sete demônios ao seu redor

Sete demônios na sua casa

Veja, eu estava morta quando acordei esta manhã

Eu estarei morta antes do dia acabar

Antes do dia acabar

Antes do dia acabar

Antes do dia acabar

Eles podem me deixar no alto

Até eu rasgar as paredes

Até eu salvar seu coração

E eu levo sua alma

E o que foi feito

Não pode ser desfeito

No coração do mal

Na alma do mal

Sete demônios ao seu redor

Sete demônios na sua casa

Veja, eu estava morta quando acordei esta manhã

Eu estarei morta antes do dia acabar

Antes do dia acabar

Fonte:
http://letras.mus.br/florence-and-the-machine/1978413/traducao.html

A música “Seven devils” é de uma banda de indie rock chamada Florence and The Machine (ou “Florence + The Machine”). Florence Welch é uma cantora inglesa e sua banda foi formada em 2007. O primeiro álbum da banda foi lançado em 2009 e já estreou no topo das paradas britânicas. A banda ganhou diversos prêmios e vendeu até hoje mais de 6 milhões de discos, segundo informações da Wikipédia.

Não consegui parar pra analisar as outras músicas, mas provavelmente existem outras tão satânicas quanto a “Seven devils”. O visual da cantora é bem característico de pessoas envolvidas com Ocultismo (não estou falando de astros da música pop controlados pela elite, estou falando de uma pessoa que, ao que tudo indica, é envolvida diretamente com o Ocultismo). Veja algumas fotos:

florence_welch_01.jpg

florence_welch_02.jpg

florence_welch_03.jpg

florence_welch_04.jpg

florence_welch_05.jpg

florence_welch_06.jpg

florence_welch_07.jpg

florence_welch_08.jpg

florence_welch_09.jpg

florence_welch_10.jpg

florence_welch_11.jpg

florence_welch_12.jpg

florence_welch_13.jpg

florence_welch_14.jpg

florence_welch_15.jpg

florence_welch_16.jpg

florence_welch_17.jpg

florence_welch_18.jpg

florence_welch_19.jpg

florence_welch_20.jpg

florence_welch_21.gif

Veja  uma tradução básica do que está no site oficial da banda:

Vamos falar sobre magia. Porque a música, no seu melhor, é uma espécie de magia que o levanta e leva-o para outro lugar. “Eu quero que a minha música soe como se jogar de uma árvore ou de um prédio alto, ou como se você estivesse sendo sugado para dentro do oceano sem poder respirar“, diz Florence Welch. “É algo impressionante e abrangente que enche-o, e você vai explodir com ela, ou você só vai desaparecer“.

Florence escreve suas melhores músicas quando está bêbada ou de ressaca, porque é quando a liberdade, a música selvagem vem, criando-se freneticamente a partir dos fragmentos recolhidos em seus cadernos e em sua cabeça. “Você está lúcido“, ela explica, “mas você não está realmente lá. Você está flutuando através de seus próprios pensamentos, e você pode escolher o que você precisa. Eu gosto dessas ligações estranhas no universo. Eu sinto que a vida é como uma viagem de ácido consistente, aqueles momentos em que as coisas voltam“.

Florence em si mesma é uma massa de contradições: ela é dura mas apavorada, um feixe de nervos e paixão, das trevas e de pura alegria. “Eu sinto as coisas muito intensamente, é por isso que a música tem de ser tão intensa. Ou eu estou muito triste ou muito feliz, estou cansada ou completamente maníaca. Isso é quando eu estou no meu momento mais criativo, mas também é perigoso para mim. Eu sinto que eu poderia escrever algumas músicas boas, ou quebrar alguns corações. Ou mesas. Ou óculos.

 

Segundo o site Vigilant Citizen, veja o que Florence Welch disse em uma entrevista à revista norte-americana Nylon:

“Eu queria ser uma bruxa quando eu era criança. Eu estava obcecada com a Bruxaria. Na escola, eu e mais dois amigos tinhamos esses livros de magia, eu sempre quis uma realidade mais mágica. Eu tinha um pequeno santuário em casa e eu fiz um feitiço para tentar fazer um menino da outra classe se apaixonar por mim.

Tome muito cuidado com o que você ouve por aí!

* Autor: Gustavo Guerrear, editor do Tabernaculonet.

* Outras informações: se desejar, veja o artigo abaixo que fala sobre o envolvimento da banda com Ocultismo (está em inglês):
http://vigilantcitizen.com/musicbusiness/the-esoteric-meaning-of-florence-the-machines-shake-it-out-and-no-light-no-light/

Pastor, pai de Katy Perry diz que cantora é “filha do diabo”

Segunda-feira, 6 de Maio de 2013

Portal Terra - 02/05/2013

O pastor Keith Hudson, pai da cantora Katy Perry, não está contente com a carreira da filha. De acordo com o jornal The Sun, ele e sua esposa, Mary Hudson, que é mãe da estrela, têm criticado Katy por não seguir seu modelo religioso, chegando a afirmar que ela é “filha do diabo” e que precisa de “cura”.

Ainda segundo a publicação, Keith afirmou que os dois têm sido questionados sobre o fato de serem pastores, mas terem criado uma filha cujos sucessos incluem a canção I Kissed A Girl And I Liked It (Eu Beijei Uma Garota e Gostei). “Eles me perguntam como posso pregar se eu sou pai de uma garota que canta sobre beijar outra mulher?”, alfinetou o patriarca durante culto em Santa Fé Springs, na Califórnia, nos Estados Unidos.

Keith também criticou os fãs da cantora, que a adoram mais do que a Deus. “Eu estive em show da Katy onde estiveram 20 mil pessoas. Fiquei observando essa geração que vai a esse tipo de lugar. A apresentação quase parecia uma igreja”, comentou Keith no culto. “Eu estava lá e fiquei apenas lamentando e lamentando. Eles estão amando e adorando a coisa errada”, acrescentou ele.

Durante o sermão, Keith ainda pediu para que outras igrejas e congregações rezem por Katy. Os pais da cantora, que tem percorrido os Estados Unidos para pregar suas crenças, agora pedem doações para que possam viajar para a Suíça.

* Fonte:
http://musica.terra.com.br/pastor-pai-de-katy-perry-diz-que-cantora-e-filha-do-diabo,33f6ac286866e310VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html

Polêmico, novo single de Kanye West se chama “Eu sou um Deus”

Segunda-feira, 1 de Abril de 2013

Portal Terra / Bang Showbiz - 28/03/2013

kanye-west-power.jpg

O novo single de Kanye West, I Am A God - em tradução livre, “Eu sou um Deus” - causou polêmica. A princípio, acreditava-se que o próximo disco do rapper teria este nome, mas agora uma fonte revelou que esse é apenas o título de seu próximo single, insistindo também que haveria um ‘A’ extra no nome.

A fonte confirmou o título para o Huffington Post, antes de acrescentar: “Nós nunca seriamos presunçosos ao ponto de nos chamarmos de um ser supremo.”

A faixa de inspiração bíblica faz referência ao Salmo 82, que detalha a ideia de que todas as pessoas são manifestações de seres maiores.

O compositor da música, Malik Yusef, parece ter confirmado a notícia em um tweet à equipe de Kanye. Ele postou: “@ TeamKanyeChi ‘I Am A God’ #salmo82″.

O rapper de 35 anos é famoso por seu forte senso de autoestima e lançou recentemente um discurso no palco, dizendo que ele tinha o poder de criar uma “utopia” e mudar a indústria da música.

“Precisamos que o negócio da música seja igualado e justo. Eu nunca ganhei um Grammy contra um artista branco. Eu sou o filho da *** do Kanye West, podemos criar uma utopia humana se tentarmos”, disse.

* Fonte:
http://musica.terra.com.br/polemico-novo-single-de-kanye-west-chama-eu-sou-um-deus,c5b345034e8ad310VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html

Banda Flyleaf coloca o símbolo olho-que-tudo-vê em capa de álbum

Sexta-feira, 12 de Outubro de 2012

Gustavo Guerrear, editor do Tabernaculonet - 12/10/2012
[Texto atualizado em 16/10/2012]

flyleaf_all_seeing_eye_symbol_album_cover_illuminati_source_revolvermag_dot_com.jpg
[Fonte: Revolvermag.com]

Vejam só que absurdo: a banda [supostamente] cristã Flyleaf colocou nada mais nada menos que o símbolo ocultista olho-que-tudo-vê na capa do álbum New Horizons.

Se você já leu outras matérias neste site já deve saber que o símbolo olho-que-tudo-vê é um dos mais importantes símbolos ocultistas de toda a história, e que é utilizado por diversas sociedades secretas (Maçonaria, Illuminati…) e pelo Satanismo.

É óbvio também que a capa de um álbum para uma banda é algo muito importante e levado a sério. Jamais colocariam na capa de um álbum, por exemplo, um símbolo desconhecido que teriam “visto e achado bonito”. Existem diversos profissionais envolvidos, seja da própria banda ou de empresa contratada. E este não é um caso em que tenham colocado “um símbolo que pode ser interpretado como o olho-que-tudo-vê“, como às vezes acontece (colocam o símbolo de modo subliminar ou camuflado), a capa é o próprio símbolo estampado de todo tamanho. O encarte contém diversos “olhos” que seriam da cauda de um pavão, mas a imagem acima não é um olho qualquer. Tanto o formato do olho, quanto o fato de estar olhando pra cima, quanto o brilho que sai dele para baixo, entre outras características, não deixam dúvidas que trata-se especificamente do símbolo ocultista olho-que-tudo-vê (está tão claro que nem seria necessário explicar tanto). Não é uma afirmação minha, só estou relatando um fato: o símbolo está ali, bem grande e claro.

Também é fato que a grande maioria dos norte-americanos já ouviu falar sobre o símbolo olho-que-tudo-vê (all-seeing-eye) e sua ligação com sociedades secretas, seja através de filmes de Hollywood, clipes de artistas da música pop ou vídeos de documentários sobre as sociedades secretas. Tenho certeza que tanto o pessoal da banda quanto os profissionais envolvidos na criação da capa do álbum conhecem o símbolo.

A banda, através do baixista Pat Seals, disse ao site Revolvermag.com:

“Fazer a arte para o álbum New Horizons tem sido uma experiência muito gratificante. Colocar imagens de xilogravura na capa, bem como o material suplementar tem sido uma oportunidade rara para mim para expressar nossa música através de um grupo de imagens que fornece uma espécie de alegoria em que o ouvinte pode impor os seus próprios significados, como muitos de nós fazemos sempre que vemos certas imagens.

“Há muitos olhos espalhados por todo o resto do design do álbum, todos destinados a representar a consciência vital e o renascer da consciência renovada da presença de Deus em cada novo horizonte em nossas vidas”.

Com tantos símbolos ou imagens que poderiam expressar a presença de Deus, foram escolher um conhecido símbolo ocultista? Impossível acreditar que foi “por acaso” ou desconhecimento.

Além disso a forma como o baixista se expressou é muito estranha. Expressões como “consciência vital” são muito usadas em algumas religiões e seitas como a Cabala e a Nova Era. Não posso afirmar nada sobre ele pois não o conheço, só estou passando uma informação que é fato: essa expressão não é comum entre cristãos (até porque não existe na Bíblia) e é muito comum nas religiões que informei. Há muitos anos eu estudo religiões, e além disso não faz muito tempo que li um livro sobre a Cabala e esta expressão aparecia muito no texto.

Eu ouvi Flyleaf durante muitos anos e nunca tive nada contra a banda até então.

* Autor: Gustavo Guerrear, editor do Tabernaculonet.

* Fonte da imagem da capa do álbum:
http://www.revolvermag.com/news/exclusive-flyleaf-stream-new-single-call-you-out-and-reveal-cover-art-track-listing-for-new-horizons.html

Novo show de Madonna está recheado de símbolos ocultistas e referências ao Nazismo

Sexta-feira, 20 de Julho de 2012

BBC - 15/07/2012

show_madonna_simbolos_ocultismo_suastica_www_tabernaculonet_com_br_006.png
Dançarinos com roupão de rituais ocultistas, em cor de sangue.

show_madonna_simbolos_ocultismo_suastica_www_tabernaculonet_com_br_001.png
Símbolos de religiões (Ecumenismo)…

show_madonna_simbolos_ocultismo_suastica_www_tabernaculonet_com_br_002.png
Suástica (tanto um símbolo antiquíssimo do Budismo quanto uma óbvia referência ao Nazismo)…

show_madonna_simbolos_ocultismo_suastica_www_tabernaculonet_com_br_003.png
Madonna simulando suicídio…

show_madonna_simbolos_ocultismo_suastica_www_tabernaculonet_com_br_004.png
Adolf Hitler…

show_madonna_simbolos_ocultismo_suastica_www_tabernaculonet_com_br_005.png
E aqui a pior imagem de todas: O símbolo ocultista “Olho-que-tudo-vê” (Maçonaria, Illuminati…).

Madonna está novamente criando polêmica com seu show. O vídeo que aparecem nos telões ao fundo está recheado de símbolos ocultistas e referências ao Nazismo. A coreografia dos dançarinos também segue a temática. O show da cantora foi em Paris, no sábado (14/07).

Ex-candidata à Presidência e principal voz da extrema-direita no país, Marine Le Pen apareceu em vídeos projetados em um telão com a suástica enquanto a cantora apresentava a música Nobody knows me (“Ninguém me conhece”).

Momentos depois foram mostradas imagens semelhantes a Adolf Hitler.

Florian Philippot, vice-presidente do partido, disse que a comparação não pode ser aceita e que o processo deve ser aberto na próxima semana.

“Esta é apenas outra provocação da turnê mundial de Madonna, para que as pessoas falem sobre ela. Marine Le Pen defenderá não só a sua honra como os que a apoiam e os milhões de eleitores da Frente Nacional”, disse.

Com sua agenda extremista, Marine Le Pen recebeu 18% dos votos no primeiro turno das eleições presidenciais na França que recentemente elegeram o socialista François Hollande.

No Parlamento francês, no entanto, o partido venceu apenas dois dos 577 assentos.

A cantora deve se apresentar novamente na França no dia 21 de agosto, em Nice.

* Fonte:
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/07/120715_madonna_lepen_jp.shtml

* Vídeos:
http://bandnewstv.band.com.br/noticias/conteudo.asp?ID=606516

http://terratv.terra.com.br/videos/Noticias/Noticia-do-Internauta/5006-424617/Madonna-cria-polemica-por-uso-de-simbolo-nazista-em-show.htm