Anvisa proíbe mamadeiras com bisfenol A (BPA)

O Globo / Folha.com / Veja - 16/09/2011

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou nesta quinta-feira a proibição da venda e fabricação de mamadeiras que contenham bisfenol A (BPA) no Brasil.

A decisão é baseada em estudos recentes que apontam riscos à saúde decorrentes da exposição à substância.

Ela está presente no policarbonato, usado na fabricação de mamadeiras e presente no revestimento interno de latas de bebidas e alimentos.

Aquecer ou congelar o plástico acelera o desprendimento de moléculas de BPA.

Segundo a Vigilância Sanitária, apesar de não haver resultados conclusivos sobre o risco da substância, a proibição visa a proteger crianças com até 12 meses de idade.

A médica Elaine Costa, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, afirma que os efeitos tóxicos do bisfenol A foram encontrados em estudos em animais. “Eles demonstram que a exposição provoca doenças, mas estudos em humanos mostram só correlações.”

A grande preocupação é com o efeito sobre hormônios sexuais. O BPA poderia provocar puberdade precoce, câncer, alterações no sistema reprodutivo e no desenvolvimento hormonal, infertilidade, aborto e obesidade.

“Como o BPA tem estrutura química semelhante à do estrógeno [hormônio feminino], ele atua como tal no organismo, podendo reprogramar as células e determinar infertilidade na vida adulta”, afirma a endocrinologista.

O principal substituto do plástico policarbonato, que contém o BPA, é o polipropileno. Segundo a Anvisa, a maioria das mamadeiras de plástico no país são de policarbonato.

A professora Juliana Machado, 35, de São Paulo, parou de comprar mamadeiras de plástico para sua filha Ana Rita, 3, quando a menina tinha seis meses.

“Minha mãe avisou que o plástico solta uma substância nociva quando é aquecido, então passei a comprar as mamadeiras de vidro.”

Ela conta que as de vidro são mais caras e difíceis de achar.

“Tenho que comprar sempre no mesmo lugar.”

A indústria terá 90 dias para cumprir a determinação, a partir da publicação no “Diário Oficial da União”.

O BPA está presente no policarbonato, substância utilizada na fabricação de mamadeiras. Mas aparece também em latas de refrigerantes, embalagens plásticas e em brinquedos. De acordo com a Anvisa, a decisão de proibir o uso da substância na composição desses produtos considerou o fato de o sistema de eliminação do BPA pelo corpo humano não ser tão desenvolvido em crianças de 0 a 12 meses, apesar de não haver resultados conclusivos sobre o seu risco. Estudos indicam que a substância pode ser cancerígena, causar problemas cardíacos e alterações hormonais. O principal substituto do policarbonato em mamadeiras é o polipropileno.

No Canadá, na Costa Rica, em países da União Europeia e alguns estados americanos, o BPA já é proibido. Ainda segundo a agência, não há justificativa para adotar outras restrições de uso para a substância.

infografico_folha_com.gif

* Infográfico 1: Site Folha.com.

* Infográfico 2: Site da revista Veja.

* Fontes:
http://oglobo.globo.com/vivermelhor/mat/2011/09/16/anvisa-proibe-uso-do-bisfenol-em-mamadeiras-925376862.asp

http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/975840-anvisa-proibe-mamadeiras-com-bisfenol-a-no-brasil.shtml

http://veja.abril.com.br/noticia/saude/anvisa-proibe-mamadeira-com-bisfenol-a

* Comentários: Essa notícia não surpreende. Vários relatos de ex-membros de sociedades secretas e ex-satanistas dão conta que existem planos de controle populacional e criação de doenças baseados na contaminação em massa através de produtos vendidos abertamente no mercado.

Dê a sua opinião!

Espaço para comentários referentes ao assunto abordado nesta página.
Os comentários são de responsabilidade do autor e não representam necessariamente a opinião do Tabernaculonet.
Os comentários são lidos antes de serem publicados.

imagem CAPTCHA