O NAFTA - O Superestado da América do Norte Realmente Está Tomando Forma

Nos quatro últimos meses, a Cutting Edge tem advertido seus leitores e assinantes que o NAFTA (Acordo de Livre Comércio na América do Norte) está gradualmente se transformando em um superestado politicamente viável, e que o clamor vigoroso com relação ao status dos imigrantes ilegais é simplesmente e somente uma parte desse processo. Até abril, éramos os únicos que diziam isso, mas nos dois últimos meses, diversas outras organizações tornaram-se cientes que esta é a realidade em direção à qual o país está caminhando.

A WorldNetDaily é a mais recente organização de notícias a chegar a essa compreensão.

Entretanto, esta notícia que estamos prestes a compartilhar com você realmente leva toda essa discussão para um novo e mais elevado patamar.

Se você ainda não leu nossos escritos sobre esse importantíssimo assunto, pedimos que separe um tempo agora para fazer isso, pois então terá as informações de pano de fundo pertinentes e necessárias para compreender corretamente o impacto total das novas informações que iremos compartilhar com você.

N2132 - Usando o Processo Dialético do Consenso Para Gradualmente Levar os EUA, o México e o Canadá a se Unirem em Uma Só Supernação - o NAFTA

NEWS1002 - “NAFTA - The Shocking Rest of the History”

NEWS1311 - “U.S. War College Proposes That a NAFTA Military Force Be Created With The United States, Canadá and Mexico!”

Agora, vamos analisar esta matéria de notícias. Você não acreditará que esse esforço esteja em andamento há cinco anos completos. Não é maravilha que progresso suficiente tenha sido feito para permitir que os presidentes dos EUA e do México se reunissem com o primeiro-ministro canadense meses atrás em uma reunião de cúpula do NAFTA!

Resumo da Notícia: “EUA e Canadá Planejam Desmantelar a Fronteira”, rediff.com, 28 de julho de 2001.

“O Canadá e os EUA estão considerando o desmantelamento de sua fronteira de 4.800 Km para permitir a livre movimentação de pessoas e menores restrições de imigração para os trabalhadores. Uma reportagem de primeira página no Toronto Star de sábado cita fontes do governo canadense nos EUA e no Canadá dizendo que ‘o Paralelo 49 se tornará uma “avenida principal na América do Norte” em vez de um posto de verificação restritivo para 200 milhões de pessoas que cruzam a fronteira anualmente e $2 bilhões de dólares canadenses em produtos que cruzam todos os dias.’”

“Esta reportagem seguiu uma reportagem anterior que dizia que o Canadá está caminhando em direção à adoção do dólar americano como sua moeda nacional.”

Vamos fazer uma parada aqui para digerir o que acabamos de ler.

Esse parágrafo discute dois dos principais elementos que precisam ser modificados para que quaisquer nações possam ser integradas:

(1) Dissolução das fronteiras - Foram necessários anos para que a Europa Ocidental desmantelasse seus postos de fronteira após oficialmente tornar-se uma nação em 31 de dezembro de 1992. Não devemos ficar surpresos que esse esforço de desmantelar a extensa fronteira de 4.800 Km entre o Canadá e os EUA também esteja levando vários anos. Entretanto, para o propósito da nossa discussão, a notícia realmente importante é que os líderes de ambos os países definiram essa eliminação da fronteira como uma prioridade e estão trabalhando para que isso aconteça.

Como o Conselho das Relações Exteriores (CFR) é a força que está por trás desses esforços, sabemos que eles eventualmente serão bem sucedidos.

Uma matéria de notícias recente mostra que o presidente Bush está buscando agressivamente essa política de eliminação da fronteira. Observe que a maior parte do que a Cutting Edge tem dito sobre esse atual ímpeto rumo ao NAFTA é confirmado por esta matéria de notícias:

Resumo da Notícia: “A União da América do Norte Substituirá os EUA?”, Human Events, 19 de maior de 2006.

“O presidente Bush está seguindo uma agenda globalista para criar uma União da América do Norte, o que efetivamente removerá as fronteiras com o México e com o Canadá. Essa é a agenda oculta que está por trás da verdadeira política de fronteiras abertas do governo Bush. Secretamente, a administração Bush está seguindo a política de expandir o NAFTA politicamente, armando o cenário para uma União da América do Norte planejada para englobar os EUA, o Canadá e o México. O que o governo Bush realmente quer é a livre e desimpedida movimentação de pessoas pelas fronteiras abertas com o México e o Canadá. O presidente Bush pretende revogar a soberania dos EUA em favor da União da América do Norte, uma nova entidade econômica e política que o presidente está formando caladamente, de modo muito parecido como a União Européia foi formada.”

Temos apresentado estes pontos repetidamente:

A) Que a razão para a política de fronteira aberta dos presidentes Clinton e Bush é que eles estavam seguindo a agenda oculta do NAFTA;

B) O presidente está seguindo o padrão definido pela União Européia. Na verdade, todas as dez supernações formadas entre 13 de dezembro de 1992 e o fim de 1996 deverão passar por esse mesmo processo laborioso para se tornarem verdadeiras supernações. Apenas esse fato revela que o mundo ainda precisará de diversos anos antes que esse processo esteja concluído e o mundo se torne verdadeiramente globalizado.

2) Adotar uma nova moeda comum - Vamos voltar para esse artigo do rediff.com para obtermos maiores informações.

“O Canadá abandonará o dólar canadense e se tornará o Décimo Terceiro Distrito da Federal Reserve dos EUA ‘dentro de cinco anos’ a não ser que o governo modifique suas políticas para fortalecer a moeda canadense, que está em erosão, Jeffrey Rubin, economista-chefe no Banco Imperial Canadense de Comércio, é citado dizendo em uma reportagem do The Financial Times. Embora outros economistas canadenses tenham começado a fazer previsões de uma transição para o dólar americano em 10 a 20 anos, ou mais, a estrutura de tempo de Rubin é considerada a mais curta para o Canadá optar pela moeda americana. À medida que o dólar canadense está lentamente se tornando obsoleto, altos funcionários do governo em ambos os lados consideram a fronteira entre os dois países também ‘obsoleta’. No máximo, ela permanecerá em termos simbólicos.’”

Os Illuminati aprenderam que certas instituições tornam as pessoas tão resistentes à mudança para um formato global que a melhor coisa é simplemente deixá-las como estão e erguer uma superestrutura por cima delas. A União Européia é novamente nosso melhor exemplo. Em vez de tentar abolir os Estados-nação individuais, como a Alemanha e França, a superestrutura conhecida como União Européia foi simplesmente erigida por cima dos Estados individuais. Similarmente, ao estabelecer a nova moeda da União Européia, os líderes foram cuidadosos em permitr que as moedas individuais permanecessem em vigor. Na verdade, todas as empresas que realizavam transações envolvendo países individuais podiam escolher se a transação seria realizada em euros ou na moeda nacional do país para a qual a compra estava sendo remetida.

Isso permitiu que a nova União Europeia tomasse forma lentamente, sem despertar a ira das pessoas que não queriam abrir mão de sua nacionalidade e de sua própria moeda. Os Illuminati acreditam firmemente que, com o tempo, as antigas formas de nacionalismo se desvanecerão e morrerão de forma bem lenta, exatamente como os galhos de uma árvore morrem quando são partidos.

Veja esta última frase da matéria do rediff.com, pois é uma excelente conclusão para este segmento.

“Todas essas reportagens sobre o desmantelamento da fronteira entre os EUA e o Canadá e a adoção de uma moeda comum são um prenúncio que os os dois países se tornarão cada vez mais integrados como uma única entidade quando os 32 milhões de canadenses se juntarem aos 280 milhões de norte-americanos para cantarem o hino nacional “O Estandarte Estrelado” em 4 de julho.”

Como dissemos em nosso boletim de 20 de maio de 2006, o plano aparentemente é converter os cidadãos mexicanos e canadenses em cidadãos americanos e, em seguida, converter todos em cidadãos do NAFTA!. Vamos analisar esse segmento pertinente:

Resumo da Notícia: “Lei Permitirá Mais 193 Milhões de Estrangeiros Até 2026″, The Washington Times, 16 de maio de 2006.

“A lei de reforma da imigração que está no Senado permitirá até 193 milhões de novos imigrantes legais - um número maior que 60% da atual população dos EUA - nos próximos vinte anos, de acordo com um estudo apresentado ontem. “A magnitude das mudanças que estão envolvidas nessa lei - e que em grande parte são desconhecidas - rivalizam o impacto da criação do Seguro Social ou a criação do programa Medicare’, disse Robert Rector, analista-sênior de políticas na Fundação Heritage, que realizou o estudo.”

Observe que a data na linha do tempo para permitir esse número de novos imigrantes é 2026. Com esse fato em mente, vejamos quais são as atuais populações do Canadá e do México, tendo em vista que o objetivo final aqui é estender a cidadania do NAFTA para os mexicanos, americanos e canadenses - usando um subterfúgio. Considere as populações atuais do Canadá e do México:

Canadá - 31.133.486
México - 100.294.036 (World Population, www.geographic.com)

Assim, a população total do Canadá e do México é de 131.427.522. Até chegarmos a 2026, essa população combinada poderá ser de 193 milhões! Assim, os números dessa lei chocante faz qualquer um pensar se o plano é primeiro estender a cidadania americana para os canadenses e mexicanos e, depois, mudar todos para cidadãos do NAFTA!

Esse fato demonstra a realidade que “o conserto está sendo providenciado” na questão da imigração ilegal. A solução proposta é dar a toda a imigração ilegal o status de cidadania - primeiro americana, depois a do NAFTA! Assim, quando o artigo do rediff.com diz que 32 milhões de canadenses se juntaram aos 280 milhões de americanos em 2001 para cantar o hino “O Estandarte Estrelado” em 4 de julho, você pode ver o espectro da cidadania comum aparecendo no horizonte.

A Unificação de Todas as Américas É um Plano dos Illuminati

Você sabia que o plano é unir no fim a América do Norte com a América do Sul? Sob esse cenário de longo prazo, essa união do Canadá, Estados Unidos e México no NAFTA é apenas um passo intermediário em direção à união da América do Norte com a América do Sul. Veja a explicação do autor maçom Manly P. Hall:

“Existe um nobre monumento na praça principal de Caracas, o local de nascimento dele, que traz estas enfáticas palavras: ‘Simon Bolivar, Libertador da Venezuela, de Nova Granada, do Equador e do Peru - e Fundador da Bolívia.’ Os Estados Unidos viram com profunda simpatia as lutas dos países latino-americanos. O enteado de George Washington enviou para Bolivar, por meio do irmão Lafayette, um pequeno medalhão, incluindo uma mecha do cabelo de Washington, como um sinal de estima… A visão que o Libertador deixou para seu povo pode ser estimado em algumas poucas citações:

“‘América’, disse Bolivar em 1823, ‘não é um problema; também não é um fato. É a mais elevada e mais irrefutável atribuição do destino.’”

“Em um documento datado de 1829, o Libertador escreveu: ‘Não alcancei nem um outro bem além da independência. Esta foi minha missão. As nações que fundei irão, após prolongada e amarga agonia, entrar em eclipse, mas mais tarde emergirão como estados de uma grande república, a AMÉRICA’.” (Manly P. Hall, America´s Assignment With Destiny: The Adepts In The Western Esoteric Tradition, Philosophic Research Society, Los Angeles, pg 102-103, 1979, ênfase no original)

Hoje, um grande esforço está sendo feito para unir os EUA, o Canadá e o México no NAFTA. Amanhã, o NAFTA se unirá a uma aliança de países sul-americanos para formar a AMÉRICA, pois essa é a “a mais irrefutável atribuição do destino” para as Américas.

Este é o verdadeiro plano e somos testemunhas oculares do início de todo o processo.

FONTE: http://www.espada.eti.br/n2139.asp

Dê a sua opinião!

Espaço para comentários referentes ao assunto abordado nesta página.
Os comentários são lidos antes de serem publicados.

imagem CAPTCHA