Livro infanto-juvenil com conteúdo controverso causa revolta entre mães nas redes sociais

19 de Julho de 2014, por Tabernaculonet.

Jornal de Brasília - 08/07/2014

livro_a_maquina_de_brincar_bertrand_controversia.jpg

A literatura nos leva a lugares inusitados, tem a liberdade de brincar com mensagens subliminares não captadas no primeiro olhar. No mundo da ficção, principalmente a infantil, esse “tempero” pode gerar polêmica e chamar a atenção de pais, professores e adultos. No clássico Cinderela, da Disney, por exemplo, a encantadora princesa é referência para meninas até hoje. No entanto, o encanto pode ser quebrado quando se descobre que Cinderela tem um gato chamado Lúcifer. Na história, a personagem defende o bichano em diálogo com seu cãozinho: “Lúcifer tem seu lado bom… Ora, ele não pode ser tão mau assim”.

Não podemos esquecer Satanás, nome escolhido por Dona Clotilde para batizar seu cão de estimação, que apavorava Chaves e cia. no clássico exibido pelo SBT, entre outros.

A polêmica em torno de conteúdos que mencionam conteúdos considerados inadequados em obras infantis tomou conta das páginas do Facebook recentemente. O motivo é o livro infanto-juvenil  A Máquina de Brincar (editora Bertrand), do escritor gaúcho Paulo Bentancur.

Poemas

A obra menciona a figura do diabo como “um bom parceiro”, com mensagens como “Sossega! Vão falar mal aqueles que não estão contigo. Que não foram convidados pelo diabo, meu grande amigo”. Os 25 poemas têm ainda desenhos de diabinhos, com cara de sapeca.

A Máquina de Brincar, no entanto, não aborda somente o “coisa ruim”. Dividido em duas partes, o livro fala também de Deus. Para Ler no Claro, com páginas brancas e poemas mais leves; e Para Ler no Escuro, em páginas pretas, mais pesado.

Mães acusam, mas autor nega apologia

A segunda parte do livro é justamente a que assustou algumas mães no Facebook. Janilda Prata, de Vitória, compartilhou uma mensagem em repúdio ao livro, que – segundo ela – teria causado espanto em sua filha de nove anos. Até o fechamento desta edição, o post condenando a obra chegava a seis mil compartilhamentos.

Para a advogada Tássia Goulart, que tem um filho de cinco anos, é inadmissível que crianças dessa idade tenham acesso a obras com conteúdo como esse. “Devemos ter muito cuidado com o que nossos filhos leem. A criança absorve as coisas. E ainda corre o risco de se traumatizar”, coloca.

Em entrevista ao JBr.,  o escritor Paulo Bentancur defende sua narrativa e seus personagens. “Quis fazer um livro diferente. As crianças de hoje são inteligentes, gostam de suspense, de figuras lendárias. E qual o problema de brincar com Deus e o diabo? Não faço apologia ao demônio, apenas brinco com o lado bom e o lado mau das coisas”, pontua.

autor_livro_controverso.jpg

Apenas brincadeira

Paulo Betancur questiona o lugar da literatura, que deveria dar espaço para falar do “surreal”. Para o autor, a religião tem podado a liberdade dos artistas e escritores, que muitas vezes fazem  apenas uma “brincadeira”.  “Os pequenos sabem que existe esse mito em torno de Deus e do diabo. O que fiz foi jogar uma piada, de forma leve”, frisa. 

Pontos de vista

Doutora especializada em psicologia infantil, Raquel Manzini defende a liberdade dos escritores de mostrarem o lado “ruim” e o lado “ bom” das coisas, mesmo em obras feitas para crianças. Para ela, o ponto crucial está na forma em que os responsáveis orientam a criança em determinada leitura. “Não tem que jogar o livro na fogueira porque ele menciona o diabo, ou outras coisas. Minha orientação é que os pais avaliem o que o filho vai ler. E caso a criança leia, que eles mostrem o lado positivo, questionem o que acham de pesado. Abrem diálogo com a criança e o que poderia ser pesado, pode virar uma obra de orientação. De questionamento da própria criança para com o mundo”, analisa.

Da redação do Jornal de Brasília.

* Fonte:
http://www.jornaldebrasilia.com.br/entretenimento/cultura/559123/livro-infanto-juvenil-com-conteudo-controverso-causa-revolta-entre-maes-nas-redes-sociais/ 

Alinhamento entre Terra, Sol e Marte antecipa ‘fim do mundo’

8 de Abril de 2014, por Tabernaculonet.

Terra - 08/04/2014

nasa_luas_de_sangue_moon_blood_worlds_ending.jpg
[Foto: NASA]

Marte, Terra e Sol vão se alinhar no Espaço na noite desta terça-feira, um evento conhecido também como “oposição de Marte” que só acontece uma vez a cada 778 dias. Porém, o que faz o acontecimento cósmico marcante é ele antecede as “luas de sangue”, um fenômeno que poderá ser visto da terra na próxima semana e que é interpretado por muitos como um sinal bíblico do fim dos tempos.

De acordo com a Nasa, a rara sequência de quatro eclipses lunares (as ”luas de sangue”) é conhecida como tétrade, e será seguida por seis luas cheias. O ciclo começa na semana que vem, no dia 15 de abril, e terminará apenas em 28 de setembro deste ano. 

Ainda segundo a Nasa, as quatro luas de sangue só foram vistas por três vezes em mais de 500 anos: a primeira vez na Idade Média, em 1493, quando os judeus foram expulsos pela Inquisição Católica na Espanha; a segunda, em 1949, quando o Estado de Israel foi estabelecido na Palestina, e a terceira em 1967, durante a Guerra dos Seis Dias entre Árabes e Israelenses.

Para alguns fiéis, as luas de sangue significam mais que um evento cósmico raro: são um presságio para o “fim do mundo” e o retorno de Cristo à Terra para o Juízo Final. Na passagem bíblica do Livro de Joel, no Antigo Testamento, diz: “O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor” (Joel, 2:31).

* Fonte:
http://noticias.terra.com.br/ciencia/espaco/alinhamento-entre-terra-sol-e-marte-antecipa-fim-do-mundo,ffcf3bcfb0145410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html 

* Comentário: A Bíblia fala sobre muitos sinais nos céus e eventos astronômicos ligados a grandes eventos na Terra. Segundo informações dos livros do Missionário Daniel Mastral (e outros sobre o assunto) a Alta Cúpula do Satanismo, conhecida como A Irmandade, também dá muita importância a eventos astronômicos (e à Astrologia) e os liga a eventos importantes aqui na Terra (obviamente não estou comparando as informações da Bíblia - perfeita - com as informações do Satanismo, só estou citando alguns fatos). Porém temos que tomar cuidado pra não nos envolvermos com a Astrologia, que é Esoterismo e Ocultismo. Publiquei a matéria porque precisamos acompanhar notícias do tipo, não porque acredito nessas previsões.

Guerra por comida e água está próxima, alerta Banco Mundial

8 de Abril de 2014, por Tabernaculonet.

Revista Exame - 04/04/2014

Em uma entrevista ao britânico The Guardian, Jim Yong Kim, presidente do Banco Mundial, disse que acredita que as batalhas por alimento e água devem eclodir dentro de cinco a dez anos, devido ao efeitos das mudanças climáticas.

Ele pediu que ativistas e cientistas trabalhem em conjunto para criar uma solução para este problema global, e usou o exemplo do HIV para demonstrar como a união de esforços pode resultar em soluções mais rápidas e mais eficazes.

A fim de manter o aquecimento global abaixo do limite acordado internacionalmente, de 2 graus Celsius, Kim disse que o mundo precisa de um plano para mostrar que está comprometido com a meta.

Ele delineou quatro áreas em que o Banco Mundial poderia ajudar a combater a mudança climática: investir em cidades mais limpas e sustentáveis, encontrar um preço estável para o carbono, reduzir os subsídios aos combustíveis fósseis e desenvolver uma agricultura mais inteligente e resistente ao clima.

Os comentários de Kim seguem a publicação da segunda parte do quinto relatório do Painel Intergovernamental das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que advertiu que nenhuma nação ficaria intocada pelo aquecimento global.

O relatório também alertou para os efeitos que as mudanças climáticas teriam sobre os preços dos alimentos, assim como em muitas outras áreas, como recursos hídricos. A produtividade agrícola pode cair 2% por década até o final do século, ao passo que a demanda deverá aumentar 14% até 2050. 

* Fonte:
http://exame.abril.com.br/economia/noticias/guerra-por-alimento-esta-proxima-alerta-banco-mundial 

* Comentário: Fique atento às notícias vindas de grandes órgãos mundiais, como Banco Mundial, FMI, ONU e outros, pois estes são totalmente controlados pela elite, pela Nova Ordem Mundial. Tenha cautela com o que eles divulgam e tente sempre pensar no que eles podem estar querendo passar com a notícia. Para te ajudar nessa filtragem, estude sobre a Nova Ordem Mundial. Veja abaixo links que te ajudarão neste sentido:

http://www.tabernaculonet.com.br/luz.php?facho=m0083

http://www.tabernaculonet.com.br/luz.php?facho=m0099

http://www.tabernaculonet.com.br/luz.php?facho=m0098

 http://www.tabernaculonet.com.br/blog/?cat=28

* Colaboração: G. L. (nome preservado), através de email. Agradeço a colaboração!

Homem que realizava rituais de Vodu decapita amigo com cordas de guitarra nos EUA

3 de Abril de 2014, por Tabernaculonet.

Portal Terra / The Mirror - 03/04/2014


[Foto: AP]

Um homem é acusado de ter decapitado o amigo, usando cordas de uma guitarra e guardado sua cabeça em uma sacola, no condado de Osage, em Illinois, nos Estados Unidos.

Os restos mortais da vítima, James Gerety, de 48 anos, foram encontrados a cerca de 28 quilômetros de sua casa, em março de 2012, um ano após o anúncio de seu desaparecimento.

A namorada do pai do acusado estava colhendo cogumelos, quando tropeçou em uma parte do crânio de Gerety.

A ex-namorada do acusado falou que James Paul Harris confessou a ela que tinha matado o amigo. Ele detalhou a ela que atirou no estômago de Gerety e então o torturou por dois dias usando as cordas de uma guitarra como garrote para decapitá-lo.

A moça relatou ainda que Harris realizava rituais de vodun (vudu) e teria guardado a cabeça de Gerety para poder conversar com o amigo.

Harris, que irá a julgamento em junho, nega o crime.

Com informações do Mirror.

* Fonte:
http://noticias.terra.com.br/mundo/estados-unidos/homem-decapita-amigo-com-cordas-de-guitarra-nos-eua,3267667387725410VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html

BBC: A crise na Crimeia pode ser a origem de uma nova ordem mundial?

28 de Março de 2014, por Tabernaculonet.

BBC - 25/10/2014

Sob a liderança do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, os presidentes do grupo - que também inclui Alemanha, Canadá, França, Japão, Itália e Reino Unido - se reuniram em Haia, na Holanda, sem a delegação russa, em represália à anexação da Crimeia por Moscou.

O ministro de Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, assegurou que a decisão é uma “grande tragédia” para seu país.

Os acontecimentos na Ucrânia mudaram profundamente as percepções ocidentais em relaçãoà Rússia, e é muito difícil imaginar uma volta rápida à normalidade.

Ao chegar à Holanda para a reunião, Obama disse que os EUA e a Europa haviam se unido na imposição de sanções que traria “consequências significativas para a economia russa”.

O ex-embaixador da ONU em Moscou, Michael McFaul, escreveu que o presidente russo, Vladimir Putin, “se aproveita do embate com o Ocidente…(e) mudou sua estratégia”.

Mesmo assim, o ministro das Relações Exteriores da Suécia, Carl Bildt, disse no Twitter que o prognóstico sombrio de McFaul subestima o problema já que o presidente russo estava “se baseando em ideias ortodoxas profundamente conservadoras”.

Quando os responsáveis pelas boas relações entre Oriente e Ocidente falam dessa forma, não é um bom sinal.

Será que isso é uma segunda Guerra Fria ou apenas um reajuste na política mundial?

A resposta dependerá em boa parte das decisões que serão tomadas nos próximos dias: uma invasão do leste da Ucrânia poderia gerar uma grande guerra, mas a consolidação da mão firme russa na Crimeia, com ações secretas de apoio a grupos militares russos em Donetsk ou Jarkov, criaria um dilema ainda mais difícil para os governos ocidentais.

Clima de tensão

Mesmo assim, como o Kremlin parece não ter intenção de mudar de posição quanto à Crimeia e abriu a possibilidade de uma intervenção para apoiar os russos na Moldávia ou nas repúblicas do mar Báltico (que são membros da OTAN), é evidente que o novo clima de tensão não vai ser atenuado rapidamente e ainda pode se agravar.

Até agora, a percepção pública da dependência europeia em relação ao comércio com a Rússia levou muitas pessoas a considerarem improvável que sejam impostas sanções significativas.

Mas quem tem essa opinião pode estar subestimando o quanto os líderes europeus estão em acordo (até o momento de forma privada) sobre tomar medidas mais duras. Ou o quanto de culpa sentem por não ter agido com mais eficiência há anos.

As “medidas específicas” promulgadas até o momento pelos EUA e a União Europeia (UE) simplesmente penalizam alguns amigos de Putin e seus aliados políticos. As sanções que foram a princípio combinadas entre os líderes da UE na semana passada contra empresas russas poderiam levar a uma verdadeira guerra comercial.

Também na semana passada, a Comissão Europeia se comprometeu a intensificar seu esforço em reduzir a dependência energética em relação à Rússia. E é nesta área que os líderes europeus têm mostrado seu ressentimento por terem sido enganados por Putin e terem permitido que as coisas voltassem ao normal.

A interrupção do fornecimento de gás russo em 2006 e a guerra de 2008 com a Geórgia já havia levado a promessas de reduzir a dependência energética.

Mas, na época, muitos culparam a Geórgia por provocar os militares russos e queriam rapidamente voltar a fazer negócios com os países do bloco conhecido como BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), que estavam em seu auge.

A postura de Merkel

Agora, a possibilidade de reduzir as importações de gás russo vem sendo levada a sério, destacando-se a capacidade da Ucrânia de fazer o mesmo, e de tomar essas medidas antes da próxima movimentação russa, não depois.

Como disse o primeiro-ministro sueco, Fredrik Reinfeldt, ao programa Newsnight da BBC no início do mês, uma guerra comercial pode ferir mais à Rússia que à UE.

A Rússia representa 7% das exportações europeias, mas o que o país importa do resto do continente representa 21% de seu comércio.

Angela Merkel é quem personifica mais essa sensação de querer evitar ser enganada de novo pelo Kremlin. Sua posição política se endureceu nos últimos dias.

Não está claro até onde vai isso, inclusive se medidas militares serão tomadas pela Rússia contra a Ucrânia ou a Moldávia.

Se o projeto da UE de reduzir sua dependência da Rússia der frutos, é possível que o recente crescimento do comércio que atravessa a antiga cortina de ferro retroceda.

Outros debates ainda dominarão as conversas dos líderes do G7 nos corredores do edifício Berlaymont, sede da Comissão Europeia e da OTAN: em que medida os compromissos diplomáticos firmados anteriormente com Putin agora são prejudiciais? Como é possível reforçar a aliança com a Ucrânia? A grande queda com gastos de defesa pela Europa deve ser revista?

Algumas das respostas são cada vez mais claras. Não haverá reunião do G8 em Sochi, já que a Rússia não faz mais parte desse clube exclusivo, que se tornou, assim, o novo G7.

Poderá haver novas medidas contra o círculo próximo de Putin e se manterá o aumento das forças levadas pela OTAN às repúblicas bálticas.

Mas existe muita incerteza, inclusive no patamar mais extremo dessas conjecturas, sobre se uma ação militar russa poderia levar a sanções em grande escala, a um aumento das tropas americanas na Europa e a uma nova era de gelo da diplomacia internacional.

* Fonte:
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/03/140325_crimeia_russia_exclusao_rb.shtml

Vida extraterrestre? Observatório do Vaticano co-sedia Conferência de Ciência no Arizona

24 de Março de 2014, por Tabernaculonet.

Space.com - 16/03/2014

Por Megan Gannon 

Será que estamos sozinhos no universo? A pergunta final sobre a vida fora da Terra e o sistema solar toma o lugar central em uma conferência científica liderada pelo Observatório do Vaticano e uma universidade do Arizona esta semana.

Cerca de 200 cientistas estão participando da conferência, chamada “A Busca Por Vida Além do Sistema Solar: Exoplanetas, Bioassinatura & Instrumentos”, que ocorre de 16 a 21 de março em Tucson, Arizona. O Observatório Vaticano está co-sediando a conferência com o Observatório Steward da Universidade do Arizona.

“Encontrar vida fora da Terra é um dos grandes desafios da ciência moderna e estamos animados por ter os líderes mundiais da área juntos em Tucson”, disse o co-presidente do evento Daniel Apai, professor assistente de Astronomia e Ciências Planetárias do Observatório Steward, em um comunicado. “Mas chegar a um objetivo tão ambicioso requer planejamento e tempo. O objetivo desta reunião é discutir como podemos encontrar a vida entre as estrelas dentro das próximas duas décadas”.

O rev. Paul Gabor do Observatório do Vaticano, outro co-presidente da conferência, acrescentou que os cientistas vão dar mais de 160 apresentações de pesquisa durante a conferência desta semana.

Segundo os organizadores, a conferência abordará os desafios técnicos de encontrar e registrar imagens de exoplanetas e identificar bioassinaturas nas atmosferas de mundos distantes. Outras apresentações vão discutir o estudo de formas de vida que vivem em ambientes extremos na Terra, que poderiam ser análogos aptos à vida em outros planetas.

A conferência não é aberta ao público, mas o Instituto de Astrobiologia da Nasa vai transmitir imagens ao vivo das sessões. Você pode saber mais sobre a conferência, através do seu site: http://www.ebi2014.org/ .

(Artigo postado originalmente no Space.com)

* Fonte / Mais informações:
 http://www.space.com/25060-vatican-observatory-alien-life-conference.html

* Tradução: Gustavo Guerrear, editor do Tabernaculonet.

* Comentário: Há muito tempo especula-se que o Vaticano vai dar a notícia ao mundo informando que “existem seres extraterrestres”. Essas notícias podem indicar isso.

Observatório Vaticano não nega possibilidade de vida extraterrena

24 de Março de 2014, por Tabernaculonet.

Portal Terra - 02/12/2012

Por Rafael Belincanta

A relação entre fé e ciência deixou de ser tabu na Igreja Católica há muito tempo. De fato, isso começou a acontecer quando em 1578 o papa Gregorio VIII determinou a construção da Torre dos Ventos - que está no Vaticano até hoje, mas é fechada a visitas - para que sacerdotes matemáticos e astrônomos estudassem o tempo e reformulassem o calendário transformando-o, alguns anos depois, no gregoriano usado até hoje.

Contudo, ao longo dos séculos a Igreja Católica não deixou de ser apontada como contrária ao progresso científico e, numa tentativa de provar o contrário, o papa Leão XIII criou em 1891, atrás da Basílica de São Pedro, o Observatório Vaticano. As luzes da Cidade Eterna, porém, se faziam cada vez mais intensas, o que impedia uma perfeita observação do céu. Foi quando o papa Pio XI resolveu transferir os astrônomos para as Colinas de Albano, ao sul de Roma, em 1935. 

Do alto das montanhas, por algumas décadas, o Observatório não sofreu interferências do progresso humano. Todavia, Roma havia se expandido tanto em 1981 que acabara comprometendo as observações. Naquele ano, então, o Observatório Vaticano expandiu suas fronteiras e se instalou nos Estados Unidos com o Vatican Observatory Research Group.

O diretor do Observatório Vaticano, padre José Gabriel Funes, sacerdote jesuíta argentino, recebeu a reportagem do Terra. Formado em Astronomia pela Universidade de Córdoba e doutor em pesquisas pela Universidade de Pádua, na Itália, está à frente do Observatório Vaticano desde 2006.

“O Observatório Vaticano mantém uma estreita colaboração com a Universidade do Arizona, em Tucson. Com o telescópio vaticano em Mont Graham, um dos lugares ideais para observação do universo em nosso planeta, podemos realizar as nossas pesquisas, principalmente aquelas que dizem respeito às estrelas de nossa galáxia e àquelas das galáxias vizinhas”, afirma.

Além dos Estados Unidos, o Observatório Vaticano mantém telescópio e pesquisas no Deserto do Atacama, no norte do Chile. Na Itália, está o Laboratório de Meteoritos que, de acordo com padre Funes, é um importante recurso para compreender a formação do sistema solar e do próprio universo. “Ao entender como se forma nosso sistema solar, podemos confrontar esses dados com outros sistemas estelares. Aqui realizamos ainda estudos de cosmologia, da origem do universo, e sobre a Teoria das Cordas, que é uma das possibilidades para entender como nosso universo se formou”, explica. 

No que diz respeito às explorações em Marte, onde existem fortes indícios existência de água em forma líquida, padre Funes diz que a sonda Curiosity tem condições para realizar experimentos que as missões Viking em 1976 poderiam apenas sonhar. “Talvez poderemos encontrar algum sinal de que ali realmente existia água, talvez encontrar algum fóssil, qualquer sinal de que existiu ou ainda existe vida ali, mesmo que seja muito primitiva”, afirma.

Quando questionado sobre a existência de vida extraterrena, o padre recorre a quem chama de “pai da astrofísica moderna”, o também sacerdote jesuíta Angelo Secchi. “Ele viveu por volta de 1860 e já tinha esta ideia de vida extraterrestre, de vida inteligente no universo. Mas até agora não temos nenhuma prova de que exista. Entretanto, em um universo com bilhões de galáxias, cada uma delas com bilhões de estrelas, e cada uma destas estrelas com outros tantos planetas, não podemos negar que possa existir vida em outros lugares”, conclui.

* Fonte:
http://noticias.terra.com.br/ciencia/espaco/observatorio-vaticano-nao-nega-possibilidade-de-vida-extraterrena,fd0859e8f177b310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html 

* Comentário: Há muito tempo especula-se que o Vaticano vai dar a notícia ao mundo informando que “existem seres extraterrestres”. Essas notícias podem indicar isso. Obs.: Esta matéria é de 2012, porém foi publicada mesmo assim para que estivesse aqui registrada e auxiliasse a “montar o quebra-cabeça”.

Vaticano admite que pode haver vida fora da Terra

24 de Março de 2014, por Tabernaculonet.

G1/Globo.com / BBC - 13/05/2008

(BBC) - O diretor do observatório astronômico do Vaticano, padre José Gabriel Funes, afirmou que Deus pode ter criado seres inteligentes em outros planetas do mesmo jeito como criou o universo e os homens.

“Como existem diversas criaturas na Terra, poderiam existir também outros seres inteligentes, criados por Deus”, disse o diretor do observatório conhecido como Specola Vaticana.

“Isso não contradiz nossa fé porque não podemos colocar limites à liberdade criadora de Deus”, acrescentou Funes, em entrevista ao jornal L’Osservatore Romano, órgão oficial de imprensa da Santa Sé.

Na entrevista ao jornal do papa, o padre Funes, jesuíta argentino de 45 anos de idade, cita São Francisco ao dizer que possíveis habitantes de outros planetas devem ser considerados como nossos irmãos.

“Para citar São Francisco, se consideramos as criaturas terrestres como ‘irmão’ e ‘irmã’, por que não poderemos falar tambem de um ‘irmão extraterrestre’?”, pergunta o padre. “Ele tambem faria parte da criação”.

Perspectiva

Na opinião do astrônomo do Vaticano, podem haver seres semelhantes a nós ou até mais evoluídos em outros planetas, ainda que não haja provas da existência deles.

“É possível que existam. O universo é formado por 100 bilhões de galáxias, cada uma composta de 100 bilhões de estrelas, muitas delas ou quase todas poderiam ter planetas”, afirmou Funes.

“Como podemos excluir que a vida tenha se desenvolvido também em outro lugar?”, acrescentou. “Há um ramo da astronomia, a astrobiologia, que estuda justamente este aspecto e fez muitos progressos nos últimos anos.”

Segundo o cientista, estudar o universo não afasta, mas aproxima de Deus porque abre o coração e a mente e ajuda a colocar a vida das pessoas na “perspectiva certa”.

Padre Funes diz ainda que teorias como a do Big Bang e a do evolucionismo de Darwin, que explicam o nascimento do universo e da vida na Terra sem fazer relação com a existência de Deus, não se chocam com a visão da Igreja.

“Como astrônomo, eu continuo a acreditar que Deus seja o criador do universo e que nós não somos o produto do acaso, mas filhos de um pai bom”, afirma.

“Observando as estrelas, emerge claramente um processo evolutivo, e este é um dado cientifico, mas não vejo nisso uma contradição com a fé em Deus”.

Ateísmo

Na visão do religioso, estudar astronomia não leva necessariamente ao ateísmo.

“É uma lenda achar que a astronomia favoreça uma visão atéia do mundo”, disse o padre. “Nosso trabalho demonstra que é possível fazer ciência seriamente e acreditar em Deus. A Igreja deixou sua marca na história da astronomia”.

Diretor da Specola Vaticana desde 2006, padre Funes lembrou na entrevista que astrônomos do Vaticano fizeram importantes descobertas como o “raio verde”, o rebaixamento de Plutão e trabalhos em parceria com a Nasa, por meio do centro astronômico do Vaticano em Tucson, nos Estados Unidos.

A sede do observatório do Vaticano se localiza em Castelgandolfo, cidade próxima de Roma, onde fica situado o palácio de verão do papa, desde 1935.

O interesse dos pontífices pela astronomia surgiu com o papa Gregório 13, que promoveu a reforma do calendário em 1582, dividindo o ano em 365 dias e 12 meses e introduzindo os anos bissextos.

* Fonte:
http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL468362-5603,00-VATICANO+ADMITE+QUE+PODE+HAVER+VIDA+FORA+DA+TERRA.html 

* Comentário: Há muito tempo especula-se que o Vaticano vai dar a notícia ao mundo informando que “existem seres extraterrestres”. Essas notícias podem indicar isso. Obs.: Esta matéria é de 2008, porém foi publicada mesmo assim para que estivesse aqui registrada e auxiliasse a “montar o quebra-cabeça”.

Ampola com o sangue de João Paulo II é roubada de igreja na Itália e caso pode envolver sociedades secretas

24 de Março de 2014, por Tabernaculonet.

Reuters / The Telegraph - 27/01/2014

afp_relicary_blood_john_paul_pope.jpg
[Foto: AFP]

ROMA, 27 Jan (Reuters) - Ladrões invadiram uma pequena igreja nas montanhas a leste de Roma durante o fim de semana e roubaram um relicário que continha o sangue do papa João Paulo 2º, afirmou uma guardiã do local nesta segunda-feira.

Franca Corrieri disse que descobriu uma janela quebrada no domingo de manhã e chamou a polícia. Quando os policiais entraram na pequena igreja de pedra, perceberam a falta do relicário de ouro e de um crucifixo.

João Paulo 2º, que morreu em 2005, amava as montanhas da região de Abruzzo, a leste de Roma. Alguma vezes ele escapava secretamente do Vaticano para caminhar e esquiar na área e rezar na igreja.

O polonês João Paulo, cujo papado durou 27 anos, deve ser santificado pela Igreja Católica em maio, fazendo com que o relicário se torne mais peculiar e valioso.

Em 2011, o ex-secretário particular de João Paulo, o cardeal Stanislaw Dziwisz, presenteou a comunidade local de Abruzzo com um pouco do sangue do pontífice, como símbolo do amor sentido por ele pela região montanhosa.

O sangue foi depositado em um recipiente de ouro e vidro e mantido em um nicho na pequena igreja de San Pietro della Ienca, perto da cidade de L’Aquila.

Corrieri disse à Reuters que o incidente dá sensação mais de um “sequestro” do que um roubo. “Em certo sentido, uma pessoa foi levada”, disse ela por telefone.

Nada mais foi levado da isolada igreja além do relicário e do crucifixo, embora Corrieri diga que os ladrões provavelmente tiveram tempo para levar outros objetos durante o roubo, realizado à noite.

Bolsas de sangue de João Paulo foram guardadas após uma tentativa de assassinato que quase o matou, na Praça de São Pedro, em 12 de maio de 1981.

(Reportagem de William James)

* Fonte:
http://br.reuters.com/article/topNews/idBRSPEA0S4AV20140127

——————————————————————————–

Sangue do Papa João Paulo II é roubado em possível roubo ’satânico’

Por Nick Squires

(The Telegraph) - Um relicário religioso contendo sangue do Papa João Paulo II foi roubado de uma igreja numa remota região montanhosa na Itália, com a especulação de que um grupo satânico poderia estar por trás do roubo.

Uma equipe de cerca de 50 policiais Carabinieri com cães farejadores foram ao local na segunda-feira à procura de qualquer vestígio do relicário, que foi roubado da Igreja de São Pedro de Ienca nas montanhas de Abruzzo, no fim de semana.

O objeto ornado com ouro contém um fragmento do material, manchado de sangue, que foi supostamente retirado da roupa usada por João Paulo II depois de ter sido baleado durante o fracassado atentado contra sua vida na Praça de São Pedro, em 1981. Foi doado à igreja em Maio de 2011 por Stanislaw Dzuwisz, um cardeal polonês e ex-secretário pessoal do Papa.

O relicário é apenas um de um punhado no mundo que contém o sangue do papa polonês, que morreu em 2005 e foi sucedido por Bento XVI.

Foi roubado junto com uma cruz da igreja, que fica perto de Gran Sasso, uma montanha com 9.550 pés de altitude nos Apeninos, a leste de Roma.

O roubo foi descoberto no sábado por um sacerdote do santuário religioso, que é dedicado à memória de João Paulo II.

O papa gostava muito da região e costumava passar férias lá, andando, meditando e esquiando na estância vizinha de Campo Imperatore.

Também é famoso como o lugar onde Benito Mussolini foi internado depois de a Itália trocar de lado durante a guerra, e de onde ele foi resgatado por uma equipe de pára-quedistas alemães em Setembro de 1943 durante um ousado ataque aéreo.

“É possível que possa haver seitas satânicas por trás do roubo do relicário”, disse Giovanni Panunzio, o coordenador nacional de um grupo anti-ocultismo chamado Osservatorio Antiplagio.

“Este período do ano é importante no calendário satânico e culmina no ‘ano novo’ satânico em 1º de Fevereiro. Este tipo de sacrilégio muitas vezes ocorre nesta época do ano. Esperamos que os itens roubados sejam recuperados o mais rápido possível”.

O roubo do relicário ocorre junto com os preparativos do Vaticano para canonizar João Paulo II, junto com outro ex-papa, João XXIII, em uma cerimônia em 27 de abril.

No funeral de João Paulo II em 2005, multidões de enlutados gritaram “Santo Subito!” - “Santidade agora” - o que levou o Vaticano a acelerar o caminho do pontífice polonês à canonização.

Em agosto de 2012, outra relíquia que contém um frasco de sangue do falecido Papa foi roubada de um padre católico, enquanto ele estava viajando em um trem ao norte de Roma.

A relíquia estava em sua mochila, que foi fraudado por ladrões, mas mais tarde recuperada em um matagal pela polícia.

* Fonte:
http://www.telegraph.co.uk/news/religion/the-pope/10599604/Blood-of-Pope-John-Paul-II-stolen-in-possible-satanic-theft.html

* Tradução: Gustavo Guerrear, editor do Tabernaculonet.

* Comentário: Há muito tempo existem rumores sobre conspirações envolvendo o ex-papa João Paulo II, incluindo rituais secretos que utilizariam seu sangue. Alguns pesquisadores do assunto chegam a cogitar que João Paulo II seja peça-chave nos acontecimentos relatados no Apocalipse, ressurgindo como o Falso Profeta. Na Itália existe há centenas (ou milhares) de anos uma disputa muito grande entre sociedades secretas satânicas e o Vaticano. Uma parte da história de “Código Davinci” não é apenas ficção… Recomendo que você pesquise e tire suas próprias conclusões.